Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/11/17 às 20h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Hospitais da rede promovem eventos no Dia Mundial da Prematuridade

COMPARTILHAR

Mães serão homenageadas em Ceilândia, Taguatinga e Santa Maria

BRASÍLIA (16/11/17) – Em razão do Dia Mundial da Prematuridade, celebrado em 17 de novembro, hospitais da rede pública do Distrito Federal estão com programação, tanto para homenagear as mães dos pequenos guerreiros quanto para conscientizar sobre esse problema que atinge cerca de 15 milhões de crianças anualmente em todo o mundo.

Nessa sexta-feira (17), o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), referência para partos de alto risco na Região de Saúde Sul, terá palestras, exposição de fotos e oficinas de crochê. Entre as temáticas estão a participação da família na recuperação do prematuro, cuidados após a alta e fonoaudiologia na facilitação do vínculo mãe e bebê. São aguardados 100 participantes, entre servidores, comunidade e mães.

No HRSM, entre 35% e 40% dos partos são de crianças prematuras. Ao longo do ano, outras atividades são desenvolvidas para amenizar o dia a dia das mães que podem ficar até três meses acompanhando os filhos internados. “Temos atividades com as crocheteiras da feira da torre para confecção de crochê”, destaca a supervisora de enfermagem da UTI Neonatal da unidade, Dayse Macedo.

HRT – No Hospital Regional de Taguatinga, o evento será fechado para servidores e mães convidadas. “Irão participar mães de crianças que nasceram prematuras e hoje estão com 1 ou 2 anos de idade e as mães com bebês ainda internados. Será feita uma homenagem e haverá distribuição de brindes”, diz a pediatra neonatologista da unidade, Maria Aparecida Soares Moreira Machado.

Ainda dentro das comemorações do Dia da Prematuridade, o HRT fará uma oficina com os servidores sobre o método Canguru, no dia 21 de novembro. Segundo o Ministério da Saúde, a técnica busca melhorar a qualidade da atenção prestada à gestante, ao recém-nascido e sua família, promovendo, a partir de uma abordagem humanizada e segura, o contato pele a pele (posição canguru) precoce entre a mãe/pai e o bebê, de forma gradual e progressiva, favorecendo vínculo afetivo, estabilidade térmica, estímulo à amamentação e o desenvolvimento do bebê. Com isso, ajuda a evitar a morte dos prematuros.

SEMANA – No Hospital Regional de Ceilândia, as atividades começaram na terça-feira (14), com um mamaço, onde cerca de 20 bebês estiveram com familiares ouvindo a importância da doação do leite materno e como este alimento colabora para a saúde dos prematuros.

O encerramento da programação será nessa sexta-feira (17), com um café da manhã, distribuição de brindes e mais homenagens.

PREMATURIDADE – No Distrito Federal, até outubro, nasceram 3.889 crianças prematuras nos hospitais da rede pública e privada. Em todo ano de 2016, foram 5.022 nascimentos de gestações com menos de 37 semanas.

Em mais de 50 países, celebra-se o Dia Mundial da Prematuridade, com o intuito de pensar em ações que possam diminuir a taxa de prematuridade.