Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/08/17 às 22h22 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Hospital de Apoio recebe representantes do Ministério da Saúde da Jamaica

COMPARTILHAR

Técnicas conheceram o programa de triagem neonatal do DF, o mais amplo do país

BRASÍLIA (28/8/17) – Em seguimento à cooperação técnica desenvolvida pelo Ministério da Saúde com o governo da Jamaica para o projeto “fortalecimento do programa jamaicano de doença falciforme”, duas representantes daquele país estiveram nesta segunda-feira (28) no Hospital de Apoio de Brasília (HAB) para conhecer o processo de triagem neonatal desenvolvido no DF, que já alcançou cobertura integral dos recém-nascidos na rede pública.

As técnicas puderam conhecer as atividades desenvolvidas no Laboratório de Triagem Neonatal do HAB, que detém os equipamentos mais avançados mundialmente para a detecção não somente da anemia falciforme, mas de um total de trinta doenças genéticas ou congênitas. “O DF é a única unidade da Federação que realiza o teste do pezinho com essa abrangência, superando substancialmente as seis enfermidades determinadas pelo Ministério da Saúde”, explica Maria Teresa Rosa, chefe da unidade de Genética do HAB.

No DF são realizados entre 4,5 mil e 5 mil testes mensalmente. O objetivo é identificar qualquer uma das 30 doenças e iniciar o tratamento de forma precoce. Quando o resultado do exame é positivo e reconfirmado, a família é convocada para realizar o tratamento com especialistas da rede pública de saúde do DF. “Com isso, conseguimos evitar sequelas e mesmo o óbito das crianças. Depois da ampliação do programa, houve redução da mortalidade e morbidade neonatal no DF,” informa a geneticista.

Confira as fotos