Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/09/19 às 14h03 - Atualizado em 12/09/19 às 14h15

Hospital de Base completa 59 anos marcando a história de Brasília

COMPARTILHAR

Aniversário foi comemorado com festa nesta quinta-feira

 

 

Música, homenagens e muita emoção marcaram o aniversário de 59 anos do Hospital de Base, celebrado nesta quinta-feira (12), no jardim da unidade. Aproximadamente 200 pessoas, entre servidores, funcionários, voluntários e autoridades compareceram ao evento, que teve bolo, balões e a entrega de placas de honra ao mérito a grupos de voluntários do hospital.

 

Uma das homenageadas com a placa foi Vera Lúcia Bezerra, gestora da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília, que tem 400 voluntários trabalhando todos os dias no Base. “Há 32 anos estou aqui como voluntária e o amor que temos pelo hospital é tão grande que esse evento fica pequeno em comparação. Essa corrente de pessoas faz o Base ser esse fenômeno em acolhimento e humanização”, completou Vera, emocionada.

 

Presente à celebração, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, destacou o excelente trabalho prestado pelos servidores, colaboradores e voluntários, “que enobrecem o hospital”. Um exemplo citado por ele foi o serviço de Oncologia do Base, que é o maior do Distrito Federal.

 

“São 30 médicos oncologistas, que fazem mais de 2 mil atendimentos ambulatoriais por mês. Isso é uma grande satisfação para todos nós e é excelente para a população”, ressaltou o secretário.

 

Okumoto lembrou, ainda, da importância do Base para o DF e o país. “Este hospital é emblemático para todo o Centro-Oeste do Brasil, porque é referência em trauma e Oncologia. Foram mais de 6 mil cirurgias de todo o tipo realizadas em sete meses. Responsabilidade de uma direção que buscou sempre a organização”, elogiou o secretário de Saúde.

 

MELHORIAS – O vice-governador Paco Britto pontuou alguns dos benefícios trazidos ao hospital depois que ele passou a integrar o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF). Entre eles, a contratação de aproximadamente 2,4 mil profissionais por meio de processo seletivo, além das reformas, da abertura de 26 leitos e do abastecimento de medicamentos e insumos.

 

“Temos trabalhado dia a dia na entrega das melhorias à população, tais como o investimentos de mais de R$ 1,5 milhão na reforma das UPA, sendo que a primeira contemplada foi a de Ceilândia. Para a eficiência energética, foram investidos, R$ 290 mil na renovação de lâmpadas, aumentando a segurança da população”, elencou.

 

Para o diretor-presidente do Iges-DF, Francisco Araújo, o aniversário é um momento para reforçar o compromisso da gestão com a população. “Todo o zelo que temos com o hospital, e as melhorias, é traduzido nas ações que temos feito. Um hospital que, antes, fazia em torno de 700 cirurgias por mês e, hoje, faz mais de 1.050, é um exemplo para todos”, comentou.

 

ATIVIDADES – Ao som de Como é grande o meu amor por você, cantada por todos que estavam no local, o bolo de aniversário do hospital foi cortado e servido aos profissionais de saúde e voluntários, pouco depois da liberação de 59 balões em alusão aos anos de atividade do Base.

 

Pouco antes desse momento, foi inaugurado o espaço Casinha Rosa, criado em agosto deste ano no jardim do Hospital de Base. A reforma, orçada em R$ 20 mil, foi realizada pela Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília, a partir de doações da comunidade e de voluntários. Lá, são preparados 400 lanches diários, doados a pacientes e acompanhantes.

 

A música ficou por conta da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, regida ao ar livre pelo maestro Cláudio Cohen. Trilhas sonoras emblemáticas, de filmes consagrados, foram tocadas, como as de Star Wars, Indiana Jones e Vingadores.

 

Posteriormente, os integrantes da orquestra se dividiram em grupos para percorrer as dependências do hospital, se apresentando nos ambulatórios, UTIs e áreas de internação.

 

“Música, arte, pintura, a Casinha Rosa. Estamos transformando o ambiente do hospital em um local humanizado. Terá também uma capelinha para o pessoal da Oncologia. Tudo isso está dentro do compromisso de dar dignidade aos pacientes”, afirmou o diretor-presidente do Iges-DF.

 

Além disso, foram lançados dois livros durante a cerimônia. O primeiro, chamado Olhar que acolhe, é composto por registros das vivências da fisioterapeuta do Hospital de Base, Karla Xavier, com fotos que retratam quatro anos do trabalho dela, principalmente, na UTI coronária. O segundo livro foi o Guia de condutas oncológicas do Hospital de Base, sobre o serviço de Oncologia.

 

INSTITUTO – Em janeiro de 2018, a unidade passou a se chamar Instituto Hospital de Base (IHBDF), com autonomia para contratar profissionais, comprar insumos e gerir um orçamento de R$ 602 milhões, sendo o primeiro hospital público da capital a adotar esse modelo de administração.

 

Em 2019, ele voltou a se chamar Hospital de Base, integrando o agora denominado Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF, também composto pelo Hospital Regional de Santa Maria e por todas as seis unidades de pronto atendimento (UPA).

 

METAS – Entre as metas previstas para este ano, estão a construção de uma nova subestação elétrica para receber mais equipamentos; reestruturação do Núcleo de Medicina Nuclear para instalação do Pet-CT; reestruturação dos serviços de Radiologia, com modernização do parque tecnológico; reestruturação e ampliação dos serviços de Radioterapia e Oncologia; reforma do Bloco de Emergência (pronto-socorro, centro cirúrgico e UTI); reestruturação da Unidade de Psiquiatria; modernização do parque tecnológico da Hemodiálise; reforma e adequação da Central de Manipulação de Quimioterápicos; e implantação de plataforma de ensino à distância no Hospital de Base.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF