Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/05/20 às 20h54 - Atualizado em 25/05/20 às 15h18

Hospital de Campanha do Estádio Mané Garrincha recebe mais 15 pacientes

COMPARTILHAR

Unidade conta agora com 20 transferidos do Hran

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Mais 15 pacientes do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) foram transferidos, neste sábado (23), para o primeiro Hospital de Campanha do Distrito Federal voltado à Covid-19, montado no Estádio Nacional Mané Garrincha. Com os cinco transferidos na sexta-feira (23), a nova unidade conta agora com 20 pacientes, atendidos em leitos com suporte avançado.

 

O primeiro a ser transferido do Hran para o estádio foi o aposentado J.G.S.F., de 72 anos. Com sinais de melhora e sem a necessidade de continuar usando antibióticos, ele foi um dos selecionados para ser atendido no hospital de campanha. Quando chegou ontem ao local,  emocionou-se e elogiou as instalações. “Isso aqui é de primeiro mundo. Obrigado por terem me trazido para cá”, agradeceu, em lágrimas.

 

Para o secretário de Saúde, Francisco Araújo, momentos como esse valem todo o esforço feito pela gestão para montar e entregar a unidade em um curto espaço de tempo. “Foram dias de muito trabalho, dedicação e suor derramado, tanto de servidores, como colaboradores e contratados. Mas tudo isso deu frutos e graças a todos vocês conseguimos entregar esse hospital em tempo recorde. A maior beneficiada é a população”, afirmou Francisco Araújo.

 

A estrutura foi equipada com 197 leitos, sendo 173 de enfermaria adulto, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência. Para garantir o funcionamento deles já foram contratados, até o momento, 123 profissionais de várias especialidades. A expectativa é chegar a aproximadamente 300 funcionários quando todos os leitos estiverem ocupados.

 

CONTRATOS – Dois contratos emergenciais foram necessários para preparar o hospital de campanha. O primeiro, no valor de R$ 79 milhões, foi firmado para o gerenciamento dos leitos, fornecimento de insumos e equipamentos hospitalares e a contratação da equipe de saúde, formada por médicos, enfermeiros, farmacêuticos, entre outros.

 

O segundo contrato, no valor de R$ 5,9 milhões, foi necessário para realizar as obras de adequação física do estádio, tornando-o um hospital de campanha. As mudanças incluíram desde a demolição de parte da estrutura, as instalações de um novo piso na área da UTI, de nobreak e sistema I.T médico – um tipo de rede elétrica exigida em alguns ambientes de assistência médica especializada.

 

Além disso, o contrato contempla ainda o redimensionamento do sistema de ar condicionado, a construção de postos de enfermagem, a manutenção corretiva e preventiva durante o período de atendimento, além do processo de desmontagem que ocorrerá depois da pandemia.

 

Ao final do contrato, os bens e equipamentos contemplados serão incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde e passam a ser propriedade da pasta.

 

COVID-19 – De acordo com o último boletim informativo da Secretaria de Saúde, divulgado no início da noite deste sábado, o DF registrou 6.248 casos da Covid-19. Do total de pacientes infectados, 3.410 estão recuperados e 95 evoluíram para óbito. Desses, seis eram residentes de cidades do Entorno, mas estavam internados no DF.