Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/07/17 às 21h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Hospital de Planaltina quer abolir uso de jaleco em refeitório

COMPARTILHAR

Pesquisa aponta que mangas do traje carregam 51% de bactérias

BRASÍLIA (5/7/17) – É correto entrar no refeitório do hospital usando jaleco ou roupa privativa? A maioria dos servidores do Hospital Regional de Planaltina diz que não, mas, na prática, muitos acabam se servindo com a mesma roupa que usavam durante atendimento aos pacientes. É o que mostra uma pesquisa realizada na unidade durante uma semana, como início para um processo de conscientização contra esta prática.

Entre os dias 26 de maio e 3 de julho, estagiários do hospital permaneceram em observação no refeitório durante o almoço e o jantar. Dos 417 servidores observados, 360 entraram no local e se alimentaram sem tirar o jaleco ou a roupa privativa. Em uma segunda fase da pesquisa, os profissionais foram entrevistados quanto ao assunto e o discurso mostrou-se diferente: 100% mostraram-se contra o uso das vestimentas em local de refeição.

Com os dados em mãos, profissionais da Gerência de Assistência Multidisciplinar e Apoio Diagnóstico do Hospital Regional de Planaltina fizeram uma ação no refeitório, nesta quarta-feira (5), para tentar mudar os hábitos dos servidores.

“Colocamos um jaleco cheio de desenhos de bactérias na porta do refeitório e também vestimos umas pessoas de pedreiro e de serviços gerais, almoçando e jantando vestidos com roupa de trabalho, para ver o impacto”, conta a gerente Maria do Socorro Nunes.

A pesquisa apontou que 51% das bactérias estão localizadas na manga ou no punho do jaleco. Outros 29% no bolso e o restante divididos entre pescoço, barra e gola. “A partir de agora, teremos reuniões para definir quais serão os próximos passos para que os profissionais deixem, definitivamente, de usar esses trajes no refeitório”, conclui a gerente de Assistência Multidisciplinar.