Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/07/13 às 16h14 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

GDF reduz índices de amputações em casos de diabetes

COMPARTILHAR

Reduzir os índices de amputações e promover qualidade de vida dos portadores de diabetes são os principais objetivos da Secretária de Saúde do DF (SES/DF) e do Governo do Distrito Federal (GDF). Ao todo, o ambulatório de Neuropatia e Pé Diabético do Hospital Regional do Gama (HRG) realizou 1.323 diagnósticos antecipados, evitando que seja amputado algum membro.

Segundo o cirurgião vascular do HRG, Carlos Schüler, o paciente diabético apresenta lesões normalmente originadas após pequenos traumas dos membros inferiores, mais comumente nos pés. “Isto se dá em função da neuropatia sensitivo-motora, característica do diabético, o doente perde a sensibilidade ‘protetora’, fazendo com que ferimentos não sejam percebidos de imediato e avancem para feridas maiores”, informou.

Os riscos são ainda maiores quando a diabete está relacionado à insuficiência vascular periférica. Neste caso, frequentemente, é necessário efetuar procedimentos para melhorar o aporte sanguíneo dos membros inferiores, promovendo a cicatrização de feridas, e assim fazendo com que se evite grandes amputações.

A dona de casa, Edivânia Maria de Jesus, 42 anos, chegou ao ambulatório com quadro de infecção no pé direito, sendo necessária a internação hospitalar e provável amputação da perna. Com o acompanhamento foi submetida a amputação de  apenas um dos dedos do pé, e agora, a paciente, recebe a assistência da equipe de 15 em 15 dias somente para retirada de calosidades.

Para Edivânia, o atendimento foi de qualidade e está menos preocupada com o resultado, pois pensou que iria perder a perna toda. “Devido aos cuidados, e a atenção dos profissionais de saúde do Hospital do Gama, não corro mais o risco de perder a perna, o que tinha me deixado bastante apreensiva e desnorteada”, relatou.

Segundo a enfermeira e coordenadora do serviço, Adicélia Pereira da Silva, o atendimento aos pacientes é feito de acordo com a gravidade do caso. “Tem casos que necessitam de acompanhamento três vezes na semana e outros apenas uma vez. A maioria dos usuários que sofreram amputações só procuram o serviço após a intervenção cirúrgica”, informou.

Atendimentos prestados pelo HRG

O serviço atende os pacientes do Gama e Santa Maria, e para receber atendimento é necessário o encaminhamento médico, a partir daí, o paciente é agendado e o primeiro atendimento é feito pelo enfermeiro.

O Ambulatório de Neuropatia e Pé Diabético também atende a especialidade de endocrinologia com uma equipe composta por três enfermeiras, três endocrinologistas, um cirurgião vascular e cinco técnicas de enfermagem.

 

Eliane Simeão