Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/01/15 às 9h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Hran tem o único Centro de Queimados da rede pública do Centro Oeste

COMPARTILHAR

Unidade avança com novas tecnologias e procedimentos

BRASÍLIA (15/01/14) – O Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) é o único credenciado, na especialidade, pelo Ministério da Saúde em todo a rede pública de saúde do Centro Oeste. No setor, uma equipe altamente treinada realiza atendimento de alta complexidade, fazendo com que o grande queimado seja visto de forma integral e diferenciada.

Um dos avanços dos últimos meses é a utilização de curativos mais eficientes, que reduzem a dor do paciente, os riscos de infecção e facilitam a cicatrização.

Um exemplo dos bons resultados alcançados pela unidade é o do paciente C.M.C., que esteve internado no Centro do fim de agosto ao início de novembro. Vítima de acidente de trabalho, ele teve 80% do corpo queimado e, graças ao empenho de uma equipe multiprofissional, chefiada pelo médico Mário Fratini, e da utilização de procedimentos dos mais modernos nesse tipo de tratamento, recebeu alta e encontra-se em acompanhamento ambulatorial.

Segundo Fratini, a sobrevida de pacientes com histórico de queimaduras grandes é rara porque, em média, apenas 10% dos acidentados conseguem sobreviver devido à gravidade das lesões. Esse índice tem melhorado face aos avanços tecnológicos recentemente disponibilizados pela Secretaria de Saúde do DF como, por exemplo, a terapia de pressão para feridas profundas. Também foram feitos investimentos na unidade de internação, que passou por reforma para adequação de salas e realização de procedimentos como curativos com lavagem da ferida, que ocorrem em um ambiente próprio, com o paciente sob o efeito de sedação ou anestesia, a chamada balneoterapia.

A qualificação e especialização das equipes de atendimento foram outros avanços alcançados, assim como, a disponibilização de um anestesista exclusivo para o setor.

Entre as melhorias esperadas para este ano, apontou Fratini, está a contratação de novos profissionais para que seja possível ampliar a realização de curativos nas 24 horas do dia, a regularização do fornecimento de materiais e a ida de um assistente social também exclusivo para a unidade.

Segundo dados da SES/DF, a média é de 270 pacientes internados por ano no Centro de Queimados, sendo a maioria vítimas de grande porte, que tiveram acima de 25% do corpo queimado. De acordo com Mário Fratini, esse número é preocupante porque 90% das grandes queimaduras ocorrem por negligência ou imperícia e podem ser evitadas. O período mais crítico para essas ocorrências é no tempo seco e frio, de maio a setembro, quando as pessoas acendem fogueiras para se aquecer.

Além dos pacientes que ficam internados, o Centro de Tratamento do Hran cuida de pessoas que tiveram queimaduras de menor porte, por meio de consultas de emergência e pelo acompanhamento ambulatorial. O ambulatório atendeu no ano passado 2.550 pacientes e o serviço de emergência realizou 2.086 atendimentos.