Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/07/21 às 16h55 - Atualizado em 6/07/21 às 19h52

Internações de idosos em UTIs covid caíram na rede pública de saúde

COMPARTILHAR

Todas as faixas etárias acima de 60 anos tiveram redução a partir do mês de maio

 

LÍVIA DAVANZO, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

A Secretaria de Saúde vem registrando queda nas internações de idosos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública de saúde voltadas ao tratamento da covid-19. Os dados contabilizados até 2 de julho de 2021 mostram que todas as faixas etárias acima de 60 anos apresentaram queda a partir do mês de maio. A redução, em todas as faixas etárias, está associada diretamente ao início do processo de vacinação no Distrito Federal.

 

Internações de idosos em UTIs caem no DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, afirma que esses dados mostram a importância da vacina no enfrentamento da Covid-19. “Estamos verificando um avanço significativo na redução de internações e na diminuição do número de óbitos, deixando claro o valor da vacinação, independentemente de qual vacina esteja sendo aplicada”, disse Okumoto, lembrando que o DF está, no momento, utilizando vacinas de quatro laboratórios diferentes.

 

A secretária adjunta de Assistência à Saúde, Raquel Beviláqua, destaca que, “com mais de um milhão de doses aplicadas no Distrito Federal, os idosos que são grupo prioritário para a vacinação contra a covid-19 já se encontram em sua maioria imunizados”. Segundo ela, “já vemos um reflexo disso na ocupação dos nossos leitos hospitalares, com queda na taxa de ocupação desse público e inversão do que era observado antes da vacinação. Hoje, a maioria das internações por complicações em decorrência do coronavírus dá-se no público mais jovem”.

 

Dados

 

 

O gráfico mostra que entre janeiro e abril houve aumento nas internações de pessoas com 60 a 64 e 65 a 69 anos e queda a partir do mês de maio para essas faixas etárias. Já entre 70 e 74 anos, registrou-se aumento entre janeiro e fevereiro, estabilidade em março e redução a partir de abril.

 

Na faixa dos 75 a 79 anos o aumento foi de janeiro a março com queda em abril. Já para pessoas com mais de 80 anos houve crescimento de janeiro a fevereiro e queda a partir de março. Os dados mostram ainda que todas as faixas etárias acima de 60 anos tiveram redução a partir de maio.

 

A vacinação para idosos com 80 anos ou mais começou no dia 1º de fevereiro. Em 4 de março, as pessoas com 75 começaram a ser vacinadas. Já no dia 22, foi iniciada a vacinação para quem tem a partir de 69 anos. A ampliação seguiu e, em 16 de abril, teve início para o público entre 64 e 65 anos. No dia 30 de abril foi a vez de vacinar quem tem 60 e 61 anos.

 

Diante desse cenário, a secretária adjunta ressalta a importância da vacinação para a redução dos casos graves e internações e faz um apelo para aqueles que são parte dos grupos elegíveis e ainda não se vacinaram. “Se já chegou a sua idade, não deixe de vacinar! E vale destacar mais uma vez que a melhor vacina é a disponível nos pontos de vacinação”, frisa.

 

Vacinação no DF

 

Em pouco mais de cinco meses, a Secretaria de Saúde vacinou mais de 100% da população com mais 70 anos com a primeira dose – percentual que foi ultrapassado com a vinda de pessoas de outros estados para receber o imunizante.

 

 

Nos próximos dias, a Secretaria de Saúde vai vacinar 41.009 pessoas que agendaram vacinação pelas faixas etárias, de 44 a 59 anos, e com comorbidades de 18 a 43 anos. Por idade, agendaram 40.018 pessoas e com alguma doença pré-existente foram 992 agendamentos. Durante todo o mês de julho, receberá a segunda dose um total de 224.946 indivíduos, sendo que 196 mil iniciaram o esquema vacinal em abril com a vacina AstraZeneca. A maioria desse público é de idosos entre 66 e 60 anos, o que justifica o baixo percentual de pessoas nessas idades vacinadas, conforme o gráfico acima.

 

A vacinação para quem tem 60 anos ou mais e gestantes e puérperas com comorbidades segue aberta sem necessidade de agendamento. Os idosos são atendidos em qualquer um dos 55 locais de vacinação. Já as gestantes e puérperas com comorbidades recebem o imunizante em pontos específicos – consulte aqui.