Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/12/12 às 18h35 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Maioria dos pacientes no CAPS AD de Sobradinho é do sexo masculino

COMPARTILHAR

Pesquisa mostra que a droga mais usada é o álcool

O Centro de Atenção Psico-Social de Álcool e Drogas (CAPS-AD), tipo II, da regional de Sobradinho, realizou uma pesquisa quali-quantitativa para identificar o perfil dos usuários. O estudo apontou que mais de 80% dos pacientes cadastrados são do sexo masculino. Segundo a coordenadora da regional de Saúde de Sobradinho, Joana D´arc, “pesquisas como essas são importantes para que os profissionais possam traçar estratégias cada vez mais eficazes de tratamento”.

Foram analisados, de 2011 até setembro de 2012, dados como estado civil, gênero, profissão, idade, grau de escolaridade, bem como aorigem das demandas recebidas e os tipos de drogas eleitas por esses usuários. Atualmente o CAPS-AD tem 427 prontuários abertos de pacientes.

A pesquisa apontou que 86,7% desses usuários são homens e 51,9% dos pacientes procuram o serviço de forma espontânea. De acordo com o gerente do CAPS, Luiz Felipe Castelo Branco, “o dependente químico pode iniciar o tratamento de forma espontânea, por intermédio de um amigo ou familiar, por encaminhamento da medicina do trabalho, por encaminhamento do poder judiciário ou por encaminhamento de outros órgãos públicos”.

A droga mais utilizada pelos pacientes é o álcool, com 73,8% de dependentes, seguida da maconha, com 29%, do tabaco, com 28,3%, e do crack, com 26,9%. Segundo Castelo Branco, “o ácool está em primeiro lugar na utilização por se tratar de uma droga lícita e, por tanto, de difícil controle por parte dos agentes públicos”.

A pesquisa mostra, ainda, que 48% dos pacientes têm o Ensino Fundamental incompleto e a profissão que maisse destacou entre os usuários foi a de vigilante, com 5,3%, seguido da de motorista, com 4,4%.

Castelo Branco também observou, por meio do estudo, que a maioria dos usuários de álcool tem mais idade e costuma permanecer mais tempo em tratamento. Além disso, ele constatou que os dependentes de drogas como maconha, cocaína e crack tendem a ser mais novos. O gerente ressaltou ainda que “os pacientes que utilizam a maconha, tendem a utilizar outras drogas como tabaco, crack, cocaína e merla”.

Atendimento

O acolhimento é realizado no CAPS-AD, tipo II, localizado na AR 17, Chácara 14, Área Especial de Sobradinho II, todas as segundas, quartas e quintas-feiras, no período de 7h até 11h30. O paciente já sai do acolhimento com oplano terapêutico pronto e com o agendamento das avaliações preliminares e complementares.

O atendimento do CAPS segue um fluxo, de acordo com os parâmetros da literatura científica. Os pacientes são divididos em grupos de iniciantes, de intermediários, de pré-alta e de egressos. Segundo Castelo Branco, “essa separação é importante porque cada paciente deve ter um tratamento específico para cada etapa e isso torna a reabilitação mais eficaz”.

Os pacientes são atendidos, de maneira interdisciplinar, por Psicólogos, Assistentes Sociais, Terapeuta Ocupacional, Enfermagem, Médico Clínico, Médico Psiquiatra e Farmacêutico.

Rafaela Marrocos

Leia também...