Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/05/13 às 14h13 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Mais de 380 partos em um mês, no Hospital Regional de Samambaia

COMPARTILHAR

Hospital tem mantido uma média de 320 partos por mês e dez por dia

 

O Hospital Regional de Samambaia (HRSam) registrou no mês de abril  387 partos, o que representa uma média de treze partos por dia, na unidade que conta com 30 leitos na maternidade, 18 na ginecologia e três médicos gineco-obstetras por turno, para atender as emergências.

Com essa estrutura, o hospital tem mantido uma média de 320 partos por mês e dez por dia. Essa tendência no aumento da demanda é reflexo de uma atuação com ênfase em um atendimento mais humanizado, que vem ocorrendo desde a assistência primária – no pré-natal realizado nos centros de saúde, por exemplo. 

“Gostei muito do atendimento de todos aqui no hospital. Estou indo embora hoje e só tenho a agradecer”, elogiou Valdenis Maria Nunes, 33 anos, moradora do Recanto das Emas, que teve o seu quarto filho.

A unidade, que é referência para pacientes de Samambaia e Recanto das Emas, além de cidades do entorno, apresenta uma das menores taxas de cesarianas da rede. Neste mês, até o dia 21, foram registrados apenas 22,36% de partos cesarianos.  

O chefe da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia do HRSam, Bruno Passos, enfatiza a qualidade nos serviços prestados. “A nossa produção é considerada acima da média, mas o que importa é a qualidade nos serviços e nem sempre a quantidade. A paciente tem importância. Ela não retorna para casa e sempre vai ser atendida”, destacou.  

Para se efetivar a garantia de vinculação da gestante à unidade de referência e ao transporte seguro – uma das diretrizes da Rede Cegonha -, há também um trabalho em rede, envolvendo a região Sudoeste (Samambaia, Recanto das Emas e Taguatinga), onde pacientes de risco habitual são absorvidos pelo HRSam e as consideradas de alto risco, são transportadas, com total segurança,  para o HRT.

“Vaga sempre”

As gestantes que precisam da emergência do HRSam são 100% acolhidas, é aplicado o conceito de vaga sempre. “Todas as pacientes que chegam ao hospital em trabalho de parto são sempre acolhidas. Trabalhamos com fila zero na obstetrícia do HRSam”, enfatizou o diretor do hospital, Élio de Aguiar.

Reforma da maternidade

Está em andamento um projeto para ampliação da maternidade do hospital. A unidade, que hoje tem 30 leitos, será ampliada e contará com 43. O projeto inclui a reforma física e também da ambientação. “Teremos condições de realizar oito partos ao mesmo tempo. Esse aumento de leitos proporcionará maior conforto às pacientes, além de possibilitar um parto mais humanizado”, explica o coordenador-geral de Saúde de Samambaia, Manoel Solange Fontes Teles.

Atenção humanizada

Todas às terças-feiras, as gestantes do terceiro trimestre de gestação, referenciadas pelos centros de saúde, têm a oportunidade de conhecer a maternidade do HRSam. Elas fazem todo o percurso que farão no dia do parto, desde a chegada ao hospital, além de receber todas as orientações necessárias.

Esse trabalho de atenção humanizada é também desenvolvido pelo Posto de Coleta de Leite Humano, que antes e após o parto, e sempre que for necessário, orienta as mães quanto a forma correta de amamentar seu bebê, sobre a vital importância do leite materno, além de receber doações de vidros com tampa de plástico e, sobretudo, de leite materno.

“Desenvolvemos um papel fundamental. A equipe é comprometida e veste a camisa. Tentamos de qualquer maneira prestar um atendimento de qualidade e humanizado para as mães que já estão fragilizadas”, explica a enfermeira supervisora da maternidade e do posto de coleta, Iveth Sevilla.

Iêda Oliveira

Leia também...