Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/07/20 às 13h02 - Atualizado em 28/08/20 às 19h17

Modelo dos hospitais de campanha garante legado para a Saúde do DF

COMPARTILHAR

Ao término da pandemia, todos os bens e equipamentos contemplados nos contratos serão incorporados ao patrimônio

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Para atender os pacientes com coronavírus, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal investiu R$ 79.449.903 na contratação emergencial de 197 leitos para o Hospital de Campanha do Mané Garrincha (HCMG). O contrato foi por meio de Sistema de Gestão Integrado.

 

Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

“Fomos contratados por meio de licitação, criamos um cronograma de trabalho e cumprimos com ele. Além disso, entregamos tudo que foi necessário e temos RH completo para atender todos os pacientes na capacidade máxima do hospital, que é de 197. Temos todos os insumos necessários, EPIs e temos feito o melhor para nossos pacientes”, explica o diretor do Hospital de Campanha do Mané Garrincha, Dr. Marcelo Melo.

 

O contrato inclui a locação de equipamentos, gerenciamento técnico, assistência médica multiprofissional de forma ininterrupta, com manutenção e insumos necessários para o funcionamento dos equipamentos, incluindo computadores e impressoras. Além do atendimento dos pacientes (medicamentos, materiais, alimentação).

 

De acordo com Dr. Marcelo, ao todo, já foram atendidas no HCMG, 655 pessoas, sendo que 513 já receberam alta e 142 encontram-se internados nesta quinta-feira (9).

 

Ao todo, são 173 leitos de enfermaria adulto, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência (sala vermelha) no hospital de campanha. O prazo do contrato é de 180 dias, podendo se estender por mais tempo, a depender dos rumos da pandemia do coronavírus e da necessidade de utilização.

 

 

RETORNO – Ao contrário do que está ocorrendo em outros estados brasileiros, em que são construídos hospitais de campanha sem previsão de retorno, apenas para suprir a necessidade dos pacientes contaminados pelo coronavírus, o Governo do Distrito Federal pensou além da pandemia.

 

Com isso, terá como legado, o retorno do investimento nos hospitais de campanha construídos para atender pacientes com Covid-19, pois ao final do contrato com a empresa, os bens e equipamentos contemplados neste contrato serão incorporados ao patrimônio da Secretaria de Saúde e passarão a ser propriedade da pasta.

 

Com essa mesma ideia, o governador Ibaneis Rocha anunciou a construção de um hospital de campanha em Ceilândia, onde será transformado em hospital materno-infantil quando a pandemia acabar. O novo hospital de campanha terá 60 leitos no total, sendo 40 de enfermaria e 20 de UTI. O valor da obra está estimado em 15,5 milhões e terá o início das obras na próxima semana, com previsão de entrega para 40 dias.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA