Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/11/18 às 15h29 - Atualizado em 13/11/18 às 15h00

Mosquito provoca doenças infecciosas

COMPARTILHAR

 

Com a chegada do período de chuvas ressurge a preocupação com algumas doenças típicas dessa época do ano. Dengue, zika e chikungunya são três infecções transmitidas pelo mesmo vetor: o mosquito Aedes aegypti. Apesar de diferentes, os sintomas e o tratamento para elas são bem semelhantes. Por isso, ao identificar um dos sinais, a recomendação é buscar atendimento em uma unidade básica de saúde (UBS).

 

“Todas se manifestam com um quadro gripal de febre, dor de cabeça, dor no corpo e vermelhidão pelo corpo”, enumera o médico de família Bruno Brunelli, da Unidade Básica de Saúde 2, em Ceilândia. Ele ressalta que o tratamento para qualquer uma delas também é o mesmo: antitérmicos e muita hidratação.

 

É importante não se automedicar, principalmente pelo fato de que alguns medicamentos, como o ácido acetilsalicílico e outros anti-inflamatórios, podem aumentar complicações hemorrágicas, como ocorre com a dengue.

 

Segundo o médico, o principal risco é para a dengue hemorrágica. “A infecção pelo zika vírus em grávidas é outra preocupação, pois há evidências de que ela pode causar microcefalia nos fetos”, destaca Brunelli.

 

CASOS – No Distrito Federal, a Secretaria de Saúde registrou 3.099 casos suspeitos de dengue, até a semana epidemiológica (SE) 42 de 2018, que corresponde à penúltima semana de outubro. Desse total, 2.915 (94%) residem no Distrito Federal e 184 (6%) em outros estados, sendo a maioria procedentes de Goiás.

 

No mesmo período, foram registrados 172 casos suspeitos de febre de chikungunya e 33 casos suspeitos da doença aguda provocada pelo vírus zika. Um novo boletim epidemiológico será divulgado pela Secretaria de Saúde na sexta-feira (9).

Alline Martins, da Agência Saúde
Foto: Mariana Raphael