Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/03/17 às 19h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

O que muda na Atenção Primária

COMPARTILHAR

BRASÍLIA (3/3/17) – Com a conversão do modelo assistencial na Atenção Primária da rede de saúde pública do Distrito Federal, o atendimento à população passará por algumas mudanças. Fique por dentro do que, de fato, será alterado.

1) Ampliação de acesso:

• As UBS terão horários de funcionamento estendidos, possibilitando o acesso àqueles usuários que não podem comparecer nos horários tradicionais;

• Mais pessoas serão atendidas pelas equipes de saúde da família: sairemos da cobertura de aproximadamente 33% para 75% da população.

2) Melhor aproveitamento dos profissionais existentes na rede de saúde do DF:

• A ampliação da cobertura para 75% da população será possível com a organização dos profissionais já em atuação na atenção primária em equipes de saúde da família, sem necessidade de novas contratações.

3) Disponibilização de servidores para reforçar as equipes de outros serviços do DF:

• Os servidores que atualmente estão lotados na atenção primária que não quiserem compor as equipes de saúde da família ou estiverem em número excessivo serão aproveitados em outros serviços, como hospitais, UPAs, equipes de atenção especializada ou atenção domiciliar, entre outros.

4) Redução do tempo de espera por atendimento na atenção primária:

• Todas as pessoas que buscam atendimento das UBS serão atendidas porque as agendas dos profissionais terão espaço para a demanda espontânea, e os agendamentos, quando necessário, terão dia e hora marcada. Isso evita as filas que se formam nas madrugadas.

5) Redução do tempo de espera nas emergências:

• Menos pessoas precisarão recorrer aos hospitais e as emergências porque a atenção primária terá maior capacidade de resolver os problemas e atenderá mais pessoas com o aumento da cobertura da estratégia de saúde da família;

• Com menos pessoas recorrendo às emergências hospitalares e UPAS, esses serviços poderão atender melhor e mais rapidamente as pessoas que realmente precisam destes serviços.

6) Maior proximidade entre os profissionais de saúde e os usuários:

• As pessoas saberão o nome dos profissionais (médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, dentistas) que são responsáveis pelo seu atendimento;

• As equipes desenvolvem uma relação de compromisso com o cuidado dos indivíduos e de sua família;

• Esta proximidade possibilita a construção de relação de confiança entre as equipes e os usuários.

7) Maior capacidade de resolver problemas de saúde nas UBS, perto do local de moradia das pessoas:

• As equipes de saúde da família são capacitadas para resolver pelo menos 85% dos problemas de saúde da população;

• A oferta dessa atenção em unidades localizadas de forma descentralizada, evita a peregrinações em busca de atendimento médico em outros serviços, como UPAS e hospitais. As pessoas saberão onde ir buscar atendimento.

8) Atendimento oportuno:

• O acompanhamento regular das equipes de saúde da família proporciona o tratamento certo, no local certo, no momento em que as pessoas precisam e por profissionais adequados;

• Isso possibilita que condições como, por exemplo, hipertensão ou diabetes, sejam controladas com o acompanhamento das equipes de saúde da família.

9) Atendimento no domicílio:

• Quando indicado, as pessoas receberão atendimento em seu domicílio, seja por agentes comunitários, médicos, enfermeiros ou técnicos em enfermagem, ou ainda pelas equipes de internação domiciliar.

10) Equipe qualificada e treinada para atender toda à família:

• O médico de família é reconhecido no mundo todo como o profissional mais capacitado para atendimento global das necessidades de saúde das pessoas, atuando nas áreas de saúde do adulto, do idoso, da mulher e da criança;

• A atuação em equipe com os demais profissionais (enfermeiro, técnico de enfermagem, dentistas e agentes comunitários de saúde) possibilita a abordagem integral e completa dos indivíduos e suas famílias, nas comunidades onde estão inseridos.

11) Aumento do quantitativo de serviços ofertados pela Unidade de Saúde:

• Todas as unidades básicas de saúde deverão oferecer vacinação a seus usuários, facilitando o acesso mais próximo da casa das pessoas;

• Não somente consultas médicas, mas também consultas de enfermagem e odontologia serão oferecidas, ampliando as formas de acesso dos cidadãos à saúde;

• Diversos procedimentos como pequenas cirurgias, suturas, curativos e atendimentos odontológicos serão ofertados em todas as unidades básicas;

• Ações diversas de promoção da saúde serão conduzidas pelas equipes na própria unidade, na comunidade e nas escolas.

12) Melhoria do acesso à atenção especializada mediante regulação conduzida pela atenção primária:

• Serão garantidas vagas reservadas para marcação de consultas, procedimentos ou acompanhamento na atenção especializada para aqueles pacientes acompanhados pelas equipes de estratégia saúde da família, garantindo que os pacientes sejam atendidos na totalidade de suas necessidades, evitando o adoecimento, o agravamento dos quadros crônicos e a necessidade de internações hospitalares evitáveis.