Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/06/17 às 11h44 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Organização no atendimento aumenta cobertura de atenção primária em Brazlândia

COMPARTILHAR

 Em um ano, índice subiu de 53% para 63%

 

BRASÍLIA (19/6/17) – Uma organização dos fluxos de trabalho feita em Brazlândia pela Diretoria de Atenção Primária da Região de Saúde Oeste permitiu que a atenção primária à saúde saísse de uma cobertura de 53% para 63% em apenas um ano. Ainda em processo de conversão do modelo tradicional para o modelo Estratégia Saúde da Família (ESF), a pretensão é que, até junho de 2018, essa cobertura suba para 85%.

O diretor de Atenção Primária da Região de Saúde Oeste, Luiz Henrique Mota Orives, destaca a definição da área de cobertura da UBS 2 como uma das medidas adotadas para ampliar o atendimento da ESF à população de Brazlândia. Segundo ele, a unidade também se adequou aos parâmetros utilizados para constituir equipes de saúde da família, inclusive com atendimento em saúde bucal. “Também reterritorializamos as unidades externas (UBSs 3 a 7) e criamos mais uma Equipe Saúde da Família na UBS 1, que só tinha uma equipe atuando junto ao modelo tradicional”, detalha Luiz Henrique.

Com as mudanças, a população já começa a notar a diferença no atendimento. “Marcar consulta aqui era sempre muito complicado. Tinha de chegar cedo e às vezes não conseguia horário com o clínico. Agora está mais fácil e espero que o novo modelo de atenção facilite ainda mais nosso atendimento”, destaca Regina Nakawaga, que acompanha a mãe Fumiyo Satake, 84, em tratamento contra diabetes.

Segundo o diretor de Atenção Primária, uma das mudanças significativas foi a negociação sistemática feita com Águas Lindas e Padre Bernardo, no sentido de evitar que as portas de entrada da atenção primária de Brazlândia tivessem sua capacidade técnica extrapolada por atender pacientes do entorno.

“Fizemos várias discussões nas secretarias municipais de saúde e tivemos acesso ao mapa de cobertura de saúde daquelas regiões. Diante disso, quando recebemos um paciente de uma dessas duas cidades, se for urgente, damos o primeiro atendimento e encaminhamos para sua região de origem. Isso teve um grande impacto positivo para Brazlândia”, comenta.

Hoje, Brazlândia possui 12 equipes de Estratégia Saúde da Família. “Quando o processo de conversão terminar, teremos 15 equipes atendendo a população”, diz Luiz Henrique. Das sete unidades básicas de saúde de Brazlândia, apenas uma ainda trabalha no modelo tradicional, a UBS 1, onde uma equipe encontra-se em processo de conversão.

“A ideia é que, estabelecendo um fluxo de atenção secundária, que estamos construindo, estabelecendo fluxo de atenção às especialidades, a gente consiga dar maior resolutividade para o usuário”, finaliza Luiz Henrique.

Clique aqui para conhecer como funciona a Estratégia Saúde da Família. 

Confira as fotos aqui.

Leia também:

UBS 9 de Ceilândia amplia atendimento e abrirá aos sábados 
Atendimento sem marcação é realidade nas UBS