Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/06/17 às 14h28 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Pacientes do HSVP participam de piquenique

COMPARTILHAR

Durante o evento, 40 assistidos pelo hospital fizeram atividades terapêuticas

BRASÍLIA (3/6/17) – O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), em Taguatinga, teve uma tarde diferente neste sábado (3), com a realização de um piquenique. Em uma ampla área verde da unidade, pacientes, familiares, servidores e voluntários se divertiram com brincadeiras, música, oficinas de argila e mandalas. Na ocasião, também praticaram reiki, yoga e fizeram uma dança circular.

“Essas atividades possuem um efeito terapêutico muito importante para o paciente. Aqui, não estamos vendo jalecos ou medicações. Estamos vendo pessoas interagindo, estamos vendo a alegria, prazer e satisfação. O contato com pessoas desconhecidas, que estão interessadas em trazer benefícios para eles (os pacientes), é fundamental. Sair da rotina também é muito importante”, destacou a diretora de Saúde Mental, Giselle de Fátima Silva.

O evento, que chegou à quarta edição, é organizado pela direção da unidade de saúde em parceria com a instituição Picnik. O tema escolhido para a ocasião foi #Pílula, por ser uma forma de representar uma pequena dose de felicidade. “Com essa ação, queremos proporcionar um dia diferente, fora da rotina, e mostrar o paciente de saúde mental sob um enfoque positivo, que é o da socialização”, explicou o coordenador geral do Picnik, Miguel Galvão.

Durante a tarde, além dos servidores, cerca de 20 voluntários desenvolveram as atividades com os pacientes e familiares. De acordo com a diretora do hospital, Vanessa Gonçalves, 40 pessoas internadas na unidade participaram do piquenique. Para ela, esta foi mais uma oportunidade de diversão para os assistidos pelo HSVP e, também, uma forma de aproximação com a comunidade.

“Buscamos sempre, em qualquer tratamento psiquiátrico, a humanização. Esse é mais um momento para a família estar interagindo e estar tentando entender o processo da doença, que é bem complicado. Também serve para mostrar à comunidade que a pessoa pode ter um transtorno mental e ser totalmente funcional. Infelizmente ainda há bastante preconceito em relação a este tema”, ressaltou Vanessa.

Com a filha internada há quatro dias em razão de uma crise de transtorno bipolar, a professora Sueli Oliveira, 44 anos, aprovou a iniciativa do hospital. “O atendimento aqui é muito bom. Ela está sendo muito bem tratada e não tenho do que reclamar. Me surpreendi com esse evento e fiquei muito feliz em vê-los interagindo”.

O piquenique foi realizado sem custos ao hospital e contou apenas com a colaboração de parceiros. O evento foi encerrado às 18 horas.

Confira as fotos aqui.