Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/08/20 às 16h50 - Atualizado em 4/09/20 às 19h02

População entre 20 e 49 anos deve tomar dose extra da vacina contra o sarampo

COMPARTILHAR

Campanha foi prorrogada e todas as salas de vacina do DF estão abastecidas

 

LEANDRO CIPRIANO, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Assim como a Covid-19, o sarampo também é uma doença infecciosa grave, causada pelo vírus Measles morbillivirus e que está em circulação no Brasil. A diferença é que existe uma vacina para prevenção, chamada de tríplice viral, aplicada em todas as unidades básicas de saúde (UBSs) do Distrito Federal. Contudo, um importante reforço dela é necessário devido ao surto da doença no país. Uma dose extra deve ser tomada por pessoas entre 20 a 49 anos de idade, público-alvo da Estratégia de Vacinação contra o Sarampo.

 

Vacina para prevenir o sarampo está disponível em todas as salas de vacina do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

A Secretaria de Saúde alerta essa parcela da população a buscar pela dose extra da vacina o quanto antes, mesmo que já a tenha recebido anteriormente. As pessoas nessa faixa etária são a prioridade da quarta fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, que se iniciou em 23 de março e foi prorrogada até 31 de agosto pelo Ministério da Saúde.

 

“Independente de quantas doses já tenha tomado, é importante tomar outra, desde que não tenha sido nos últimos 30 dias. O objetivo é eliminar a circulação do sarampo no Brasil, que está em surto ativo e tem tido casos especialmente em pessoas entre 20 e 49 anos”, informou a enfermeira da área técnica da Secretaria de Saúde, Fernanda Ledes.

 

O DF é um exemplo dessa realidade. De acordo com a especialista, dos cinco registros positivos da doença no Distrito Federal, em 2020, quatro estão nessa faixa etária. “É importante nesse momento eles receberem a dose extra porque temos tido casos de sarampo especialmente entre pessoas com 20 e 49 anos. Por isso eles são o alvo da campanha”, alerta.

 

Doses

 

Independentemente de quantas doses tenham sido registradas na caderneta de vacinação, as pessoas entre 20 e 49 anos podem ter acesso à dose extra. Entretanto, todos indivíduos de 12 meses a 29 anos de idade precisam ter duas doses da vacina tríplice viral. Os de 30 a 59 anos devem ter pelo menos uma dose.

 

A tríplice está disponível na rotina dos serviços de todas as salas de vacina do Distrito Federal.

 

Arte: Rafael Ottoni

Sintomas

 

O primeiro sinal do sarampo é a febre alta que dura de três a cinco dias, acompanhada de coriza, tosse e olhos avermelhados. Após alguns dias surgem manchas avermelhadas na pele, com início na face e atrás do pescoço, progredindo em direção aos membros inferiores. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre por mais de três dias é sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de cinco anos de idade.

 

Arte: Rafael Ottoni

Cobertura vacinal

 

Conforme os dados, a procura pela vacina tem sido baixa dentro desse grupo no DF. De 23 de março até 29 de julho, foram vacinadas 53.467 pessoas do público-alvo com a tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Contudo, essa quantidade corresponde a apenas 3,9% de cobertura vacinal entre aqueles de 20 a 49 anos.

 

A pandemia do novo coronavírus pode ter algum reflexo nessa situação, uma vez que começou a se espalhar no Brasil no final de fevereiro, pouco antes de se começar a quarta fase da campanha nacional contra o sarampo.

 

“Desde 2018 estamos em situação de surto do sarampo, apresentando casos contínuos, sem época determinada. Por isso é tão importante o público-alvo da campanha ser vacinado o quanto antes. Caso estejam indo às UBSs por algum outro motivo devido à pandemia, seria bom aproveitar o momento e buscar pela vacina tríplice viral”, afirmou Fernanda Ledes.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO