Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/13 às 19h36 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Práticas Integrativas ajudam no tratamento de doenças

COMPARTILHAR

As mais procuradas são acupuntura, automassagem e meditação

O Distrito Federal é uma das Unidades Federadas pioneiras na incorporação das Práticas Integrativas em Saúde (PIS), implantadas em 1986, com a perspectiva de assegurar o cuidado integral à saúde dos indivíduos e das coletividades. São práticas de saúde capazes de fomentar os processos de humanização da atenção à saúde e auxiliar o tratamento de doenças.

Na rede pública de saúde do DF são ofertadas 15 modalidades de PIS, incluindo acupuntura, arteterapia, automassagem, dança sênior, meditação, musicoterapia, terapia comunitária, shantala dentre outras. As PIS podem ser inseridas em todos os níveis de complexidade dos sistemas e redes de cuidado, desde atenção primária até atenção especializada e hospitalar.

O objetivo das práticas integrativas é promover acolhimento humanizado, fortalecendo os mecanismos naturais de cura do organismo, valorizando o sistema multidimensional (físico, afetivo, mental e espiritual). As PIS são indicadas de um modo geral, a todos os indivíduos, inclusive mulheres durante a gravidez.

O acesso às atividades de PIS ocorre por demanda espontânea do usuário que deve procurar um centro de sistema único de saúde ou por meio de encaminhamentos realizados por qualquer profissional de saúde do sistema.
NOVIDADES PARA 2013
O Plano de Ação da Gerência de Práticas Integrativas de Saúde – GERPIS prevê que de 2013 a 2015 as PIS sejam ofertadas por 80% das Unidades de Saúde SUS-DF. E também prever a produção de material educativo e informativo para fortalecimento institucional do Distrito Federal.

André Barros