Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/01/12 às 16h51 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Rede Cegonha é discutida pelos técnicos da SES e MS

COMPARTILHAR

Técnicos e gestores da Secretaria de Saúde e do Ministério da Saúde reuniram-se na manhã desta quarta-feira, 25, para discutir a implantação do Plano de Ação da Rede Cegonha no Distrito Federal. A Rede Cegonha é uma estratégia do Governo Federal que pretende ampliar e melhorar a assistência a gestantes, recém-nascidos e crianças de forma integral e humanizada.

O objetivo da Rede Cegonha é estabelecer um novo modelo de atenção ao parto, nascimento e à saúde da criança com uma rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade visando a redução da mortalidade materna e neonatal.

O DF aderiu à rede em dezembro do ano passado e está elaborando o seu plano de ação. A reunião desta quarta-feira, com a participação da técnica do Ministério da Saúde, Thereza Lamare, serviu para dirimir dúvidas e prestar esclarecimentos sobre a implantação do projeto. Segundo ela, é importante organizar a assistência para que a gestante saiba quais os serviços estão disponíveis em sua região.

As discussões reuniram o grupo condutor, responsável pela formação da rede local e áreas técnicas, além do secretário adjunto de Saúde, Elias Miziara e os subsecretários da SES. Para o secretário adjunto, a parceria com o Ministério da Saúde é fundamental para o DF no processo de formação de redes. Há vários projetos em andamento que vão se integrar em algum momento”, ressalta. Outras reuniões técnicas estão previstas para as próximas semanas.

O programa garante a ampliação do acesso, acolhimento e melhoria da qualidade do pré-natal, transporte tanto para o pré-natal quanto para o parto, vinculação da gestante à unidade de referência para assistência ao parto – “gestante não peregrina!” e “Vaga sempre para gestantes e bebês!”. Também estão previstos a realização de parto e nascimento seguros, através de boas práticas de atenção, acompanhante no parto, de livre escolha da gestante, atenção à saúde da criança de 0 a 24 meses com qualidade e resolutividade e acesso ao planejamento reprodutivo.

A rede de cuidados assegura às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada durante a gravidez, parto e puerpério. Já as crianças tem direito ao nascimento seguro, crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Celi Gomes SES-DF