Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/12/13 às 20h05 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Regional de Saúde do Bandeirante traça metas para 2014

COMPARTILHAR

Mutirões odontológicos e práticas integrativas  são destaques deste ano

Os coordenadores de saúde do Núcleo Bandeirante realizaram a última reunião do ano para avaliar os avanços e definir as metas para 2014 nesta quinta-feira (19). A ideia geral é que a muitos serviços foram expandidos, como por exemplo as práticas integrativas de saúde (PIS) – lian gong, tai chi chuan e automassagem – que se revertem em benefícios para a saúde da população e dos servidores.

Segundo o coordenador geral da CGS, Pedro Zancanaro, no próximo ano é importante criar horários alternativos para que haja uma maior adesão de praticantes das PIS. “Vamos sensibilizar tanto os servidores como os pacientes para que participem mais ativamente desses encontros que trazem grandes benefícios cardiovasculares, mentais e imunológicos”, explicou.

Outro ponto citado como avanço foram os treinamentos realizados ao longo do ano nas diversas áreas da assistência. Um exemplo foi a sensibilização para um melhor acolhimento do adolescente, que envolveu todas as 14 equipes do Programa Saúde da Família que atuam no Riacho Fundo II.

A regional, que além do Núcleo Bandeirante e Riacho Fundo II, é responsável pela saúde em Candangolândia, Riacho Fundo I e Park Way, também planeja o treinamento das equipes para a realização dos testes rápidos de hepatite B e C. “Este ano, a capacitação foi para a testagem rápida de HIV e sífilis”, disse o coordenador, citando o apoio recebido pela Secretaria de Saúde.

Em relação à odontologia, a realização dos mutirões nos fins de semana foi fundamental para que os odontólogos conseguissem diminuir a fila de espera. Foram realizados mais de seis mil procedimentos entre consultas, limpeza e avaliação de gengiva no Centro de Saúde do Riacho Fundo II.

Ainda segundo Zancanaro, 2014 será dedicado à obtenção de índices e indicadores abaixo dos estipulados para o Distrito Federal. “Vamos buscar o que ficou estabelecido pelo Comitê de Gestão Estratégica e tentar obter resultados ainda melhores”, disse o coordenador, lembrando que houve avanço no processo de gestão dentro da regional, mas que ainda existem muitos pontos a serem alcançados. “Teremos melhores condições de trabalho com a reforma dos Centros de Saúde 2 e 3 e isso será muito positivo”, revelou.

Entre os indicadores definidos para a Saúde Primária estão a abrangência do pré-natal, a atuação da assistência primária como meio de diminuição de internações hospitalares, cobertura populacional da Estratégia Saúde da Família, número de exames do colo de útero, que este ano aumentaram sobremaneira em relação ao ano passado devido à atuação da Carreta da mulher, entre outros.

Por Arielce Haine, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61)3348-2547/2539 e 9862-9226