Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/06/16 às 22h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Residentes multiprofissionais passam por avaliação trimestral

COMPARTILHAR

As provas foram na segunda-feira(16) no auditório da Fepecs

BRASÍLIA (14/6/16) – A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), por meio do Núcleo de Residência da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), realizou na tarde dessa segunda-feira (13/06), no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), a primeira avaliação do ano com os 256 novos residentes multiprofissionais.

De acordo com a chefe do Núcleo de Residência da ESCS/Fepecs/SES, Vanessa Campos, o objetivo é verificar se os residentes adquiriram as competências necessárias para exercerem suas atividades profissionais com autonomia. São realizadas quatro avaliações por ano, durante os dois anos de residência. “Para isso, é aplicada uma prova com questões relacionadas ao eixo transversal, que englobam atividades comuns a todas as profissões as quais os residentes têm contato, e ao eixo específico de cada profissão”. De acordo com a chefe do Núcleo de Residência, essa avaliação é obrigatória e para os residentes serem aprovados com conceito satisfatório na avaliação somativa, eles devem obter a nota mínima de sete.

AVALIAÇÃO – A enfermeira e residente em Saúde Mental Adulto, Bárbara Melo, 25 anos, aponta a importância dessa primeira fase da avaliação. “Dessa forma conseguimos saber se estamos assimilando a teoria com o eixo prático, e, assim, tirar nossas conclusões sobre o que ainda podemos aproveitar para este semestre. As questões são dentro do que eu atuo na residência, dividida em eixos comuns às várias profissões a qual tenho contato e a outro referente à minha área da enfermagem na Saúde Mental” relata a residente.

PROGRAMA MULTIPROFISSIONAL – A vice coordenadora da Comissão de Residência Multiprofissional (Coremu), Cibelle Fernandes, ressalta que essa é a primeira vez que a SES oferece as residências multiprofissionais em Rede, em que as atividades são realizadas nas unidades de Saúde do Distrito Federal.

“Esse programa é o resultado da diretriz do Ministério da Educação e da Saúde que visa à formação dos residentes das áreas profissionais de forma integrada, na perspectiva de colocar em prática a interdisciplinaridade e a integralidade de assistência à saúde”. Para Cibelle, este modelo de residência tem a maior chance de oferecer a oportunidade e compartilhamento de experiências, convivência e discussões de diferentes profissionais, pensando numa assistência em Saúde como preconizado pelo Sistema Único de Saúde.

A residência multiprofissional abrange as formações em terapia ocupacional, nutrição, fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, serviço social e farmácia, além de enfermagem e odontologia. Os profissionais dessas áreas poderão atuar na Atenção ao Câncer, na Atenção Cardíaca, na Saúde do Adulto e Idoso, na Saúde da Criança, na Saúde Mental do Adulto, na Saúde Mental Infanto-Juvenil, na Saúde Coletiva, na Terapia Intensiva e na Urgência e Trauma.