Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/06/13 às 21h09 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Sábado (8) é Dia D de vacinação contra poliomielite

COMPARTILHAR

Mais de 280 postos vão funcionar no DF

 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a paralisia infantil (poliomielite) será oficialmente aberta neste sábado (8), dia D da campanha. No Distrito Federal mais de 280 postos de vacinação estarão disponíveis à população em centros de saúde, hospitais, escolas, igrejas, shoppings e supermercados, das 8h às 17h.

O secretário de Saúde do DF, Rafael Barbosa, estará a partir das 9h, no Centro de Saúde nº 16 do Varjão (Quadra 05, conjunto A, lote 17 – Área Especial), para acompanhar a campanha de imunização, que continua até o dia 21 de junho.  A meta da Secretaria de Saúde neste ano é imunizar 173.764 mil crianças do DF em etapa única, o equivalente a 95% da população alvo (estimada em 182.902 mil crianças).

 “É importante frisar que neste ano, diferente dos anos anteriores, a população alvo são crianças a partir de seis meses até os menores de cinco anos de idade”, afirma a gerente de Vigilância Epidemiológica e Imunização da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), Cristina Segatto, que destaca a necessidade de apresentar o cartão de vacinação.

O DF, que não registra casos de poliomielite há 26 anos,  tem alcançado a meta recomendada de 95% em termos de cobertura vacinal na rotina. Em relação à cobertura nas campanhas, observou-se uma queda no percentual recomendado (95%) no período de 2004 a 2010, com melhora do desempenho nos ano de 2011 e 2012, alcançando 97,2% no ano passado.

“A vacina oral leva à proteção coletiva e é muito importante que os pais compareçam aos postos para imunizar seus filhos”, ressalta Eudóxia Rosa Dantas, chefe do Núcleo de Imunização da SES-DF.

O Brasil realiza em 2013 o 34º ano de Campanhas Nacionais de Vacinação contra a Poliomielite e o 24º ano sem a doença no país, estando livre do poliovírus desde 1990. O objetivo da campanha, de acordo com a subsecretária de Vigilância à Saúde, Marília Coelho, é manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite, estabelecendo proteção coletiva e a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente. “Os países livres da poliomielite precisam manter altas coberturas vacinais contra a paralisia infantil”, afirma.

 Alerta

Os pais devem estar atentos quanto à saúde dos filhos, pois crianças com o quadro de infecções agudas e febre acima de 38ºC, com imunodepressão congênita ou adquirida (como AIDS), ou que estejam se submetendo a quimioterapia e apresente alergia grave a um dos componentes da vacina não devem ser imunizadas. Em caso de dúvida procurar orientação do seu médico.

A vacina oral contra a poliomielite é extremamente segura, sendo raras as reações associadas a sua administração. A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e a evolução desta manifestação, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular.

Confira a lista de postos de vacinação neste sábado (08).

Frederico Prado