Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/12/17 às 16h36 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Sábado é dia de vacinar cães e gatos na área rural

COMPARTILHAR

Estarão em funcionamento 130 postos, das 9h às 17h

BRASÍLIA (1º/12/17)A segunda etapa da 39ª Campanha de Vacinação Antirrábica de Cães e Gatos do Distrito Federal, que desta vez tem como foco a zona rural, será promovida neste sábado (2), das 9h às 17h, em 130 postos volantes e fixos. O objetivo é prevenir a raiva animal para evitar a ocorrência de casos da doença em humanos, letal em quase 100% dos casos. A expectativa é imunizar no Dia D 30 mil cães e gatos da zona rural.

Realizada no sábado passado (25), a vacinação na área urbana superou o objetivo de imunizar 70 mil animais. “Ultrapassamos o esperado. O balanço parcial dos 207 postos foi de 99.833 animais vacinados, praticamente alcançando a meta prevista para todo o DF, que era de 100 mil animais”, contabilizou o diretor da Vigilância Ambiental, Denílson Magalhães.

A estimativa é que o DF possua 339.261 cães e gatos, sendo 308.419 cães e 30.842 gatos. A indicação da dose é para animais saudáveis com mais de três meses de vida. As fêmeas gestantes e parturientes também podem ser imunizadas. Os animais que receberem a primeira dose devem ser revacinados após 30 dias. Posteriormente, só é necessária a vacinação anual.

Quem não conseguir vacinar seus animais no Dia D da campanha pode procurar um dos 10 postos de vacinação distribuídos entre as regiões administrativas do DF, localizados nos núcleos regionais de Vigilância Ambiental. O serviço funciona durante todo o ano, de segunda a sexta.

Nesta etapa, a iniciativa contará com o apoio de servidores da Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater), além de outros colaboradores.

DOENÇA – O veterinário da Subsecretaria de Vigilância à Saúde Laurício Monteiro explica que a raiva é uma doença viral infecciosa que pode acometer todos os mamíferos. A vacinação é o melhor instrumento para formar uma barreira imunitária contra a doença, que protege também o ser humano.

Segundo ele, a grande preocupação de prevenir a doença em cães e gatos ocorre em razão de 100% de letalidade nesses animais e de quase 100% em seres humanos. “Nós tivemos apenas seis casos de raiva humana no mundo que não chegaram a óbito, mas todos ficaram com lesões cerebrais”, disse o veterinário.

Caso o animal mude o comportamento, o proprietário deve observar se ele está vacinado. Inicialmente, o cão ou gato contaminado se torna agressivo e, ao longo do tempo, começa a salivar em função do comprometimento da musculatura.

Posteriormente, ocorre uma lesão cerebral, paralisia e óbito. Tudo acontece em, no máximo, 10 dias. Em caso de suspeita da doença, é necessário acionar a Vigilância Sanitária pelo telefone 160.

Para mais informações, a Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival) disponibilizou o telefone (61) 3344 8527.

SERVIÇO
Dia D da Campanha de vacinação antirrábica na área rural
Data: 1º/12/17
Horário 9h – 17h