Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/05/14 às 12h09 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Samambaia realiza quarta edição da caminhada Passo da Saúde Mental

COMPARTILHAR

Alusão ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado em 18 de maio

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III) de Samambaia, com o apoio da Rede Social local, realiza na quarta-feira (14), a partir das 8h, a quarta edição da caminhada Passo da Saúde Mental. O evento é em alusão ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial, comemorado em 18 de maio, data considerada um marco teórico e político da mudança do tipo de assistência oferecido às pessoas com sofrimento psíquico grave.

A concentração será em frente ao 12° Grupamento de Bombeiros de Samambaia (QI 416), com percurso até o Ponto de Encontro Comunitário da quadra 206. A ação contará também com atrações culturais e de expressão corporal.

“Como oportunidade de produção de protagonismos e de visibilidade à loucura, para que esta ocupe o espaço da cidade, é que convidamos toda comunidade a participar desse evento, que é também pela garantia de direitos e inclusão social”, informa a gerente do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III) de Samambaia, Laila Melo Dantas.

A coordenadora-geral de Saúde de Samambaia, Paula Garcia de Araújo, reforça a importância desse momento. “Esse evento serve para lembrar que as condições da saúde mental no Brasil evoluíram, porém a Luta Antimanicomial não parou. É necessário que se mantenha vivo o cuidado com os doentes, e para que fique claro que eles não devem ser excluídos da sociedade e maltratados como eram antigamente, mas sim orientados e acompanhados para que possam encontrar seu lugar no mundo”.

A última edição, em 2013, contou com a participação de aproximadamente 250 pessoas, entre pacientes, familiares, profissionais e a comunidade em geral.

CAPS III Samambaia

Como serviço substitutivo à lógica manicomial, o CAPS III Samambaia se destina ao atendimento de pessoas com sofrimento psíquico grave, por meio de estratégias assistenciais de reabilitação psicossocial e reinserção social.

De acordo com Laila, a reabilitação e a reinserção começam na unidade, a partir da participação do usuário em grupos psicoterápicos, oficinas de expressão e produção, acompanhamento medicamentoso, atendimentos individuais e atendimentos familiares. “É um conjunto de ações interdisciplinares que estimulam a ação do usuário como autor e responsável por seu processo de saúde como cidadão, na garantia de seus direitos e deveres, utilizando o CAPS como espaço de acolhimento e continência”, explica.

Samambaia tem atualmente dois Centros de Atenção Psicossocial, o CAPS III, para pessoas adultas em sofrimento mental grave e o CAPS AD III, voltado para usuários adultos de álcool e outras drogas. Além disso, dispõe também dos serviços oferecidos pela Unidade de Acolhimento Residencial Transitório (UA), vinculada ao CAPS AD III.

Histórico

O Dia Nacional da Luta Antimanicomial, em 18 de maio, é considerado um marco teórico e político da mudança do tipo de assistência oferecido às pessoas com sofrimento psíquico grave, o que também desencadeou a criação da Política Nacional de Saúde Mental e a implantação dos CAPS em substituição à lógica de exclusão social dos hospícios/manicômios.

CAPS na rede

A Secretaria de Saúde conta hoje com 16 Centros de Atenção Psicossocial. Desses, nove são voltados especificamente para o atendimento a usuários de álcool e drogas e sete destinados a pessoas com transtornos mentais.

Iêda Oliveira

Leia também...