Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/09/13 às 13h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

SAMU recebeu mais de 10 milhões de ligações em oito anos

COMPARTILHAR

Trotes foram reduzidos para 16% do total de chamadas

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do Distrito Federal, em oito anos de funcionamento, recebeu mais de 10 milhões de ligações no disque 192. As ligações foram de informações, atendimentos de socorro e trotes.

No início da criação do SAMU, o número de trotes chegava a 67%. Com o passar dos anos as chamadas com trotes diminuíram. De janeiro a julho deste ano, o índice de trotes foi de 16%.

O SAMU funciona 24 horas por dia e tem uma frota de 39 ambulâncias compostas de 30 unidades básicas, oito avançadas, uma bariátrica para transporte de pacientes obesos (acima de 150 quilos).

A solicitação de uma emergência se dá por meio de um médico regulador (Tele medicina), que fará a avaliação da solicitação de socorro e, se necessário, encaminhará o socorro ao local para atendimento. “Cerca de 40% dos atendimentos do Samu são resolvidos no local, ou seja, o paciente não precisa ser deslocado para o hospital”, ressalta Rodrigo Caselli, coordenador-geral do Samu.

Cerca de mil profissionais como, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, condutores, técnicos administrativos, psicólogo e assistente social compõem o atendimento do SAMU.

Entre os atendimentos realizados, 60% são casos clínicos: convulsões, problemas cardíacos, crise hipertensiva, desmaios. Os demais são traumas, casos obstétricos e psiquiátricos.

Uma ambulância de unidade básica é composta de dois técnicos de enfermagem e um condutor socorrista para situação de emergência leve ou moderada.

Os casos graves como, derrame, parada cardíaca, acidente de trânsito são disponibilizados as ambulâncias de unidade avançada, que contarão com a intervenção do médico.

O SAMU, ainda, conta com 18 motolâncias que trabalham em duplas prestando os primeiros- socorros até a chegada da ambulância.

Referência

O serviço de motolância, bikelância e o projeto Samuzinho são referências de modelo de assistência em atendimento pré-hospitalar no país.

Criado em 2008, o Samuzinho tem por objetivo a divulgação junto às escolas dos serviços prestados pelo SAMU. Outro exemplo de modelo de sucesso são as bikelâncias (quatro bicicletas) que atuam no parque da cidade de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h e nos finais de semana e feriados das 7h às 22. Eles também estão presentes nos finais de semana e feriados no zoológico.

O SAMU conta ainda com dois helicópteros para transporte de pacientes em situação de urgência. As parcerias da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiro do DF atuam junto na remoção de pacientes em locais de difícil acesso.

No Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), o SAMU, coordena os Centros de Trauma e o Centro Neurocardiovascular. O Samu também coordena a sala vermelha do Hospital Regional de Ceilândia e Centro de Emergência do Hospital Regional do Guará.

Júlio Duarte

Leia também...