Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/12/13 às 15h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde alerta para cuidados no uso de fogos de artifícios

COMPARTILHAR

Principais vítimas de queimaduras são crianças e adolescentes

Muita gente gosta de comemorar a chegada do ano novo com fogos de artifício. A prática, entretanto, requer cuidados, pois o uso inadequado dos artefatos pode causar queimaduras graves e acabar com a festa.

O cirurgião plástico da Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), Gilberto Aguiar, alerta para os cuidados ao manusear os fogos e assim evitar acidentes. ”O uso de fogos não é para qualquer pessoa”, afirma o médico ao lembrar que utilizar os produtos é sempre arriscado e nunca deve ser associado ao consumo de bebidas alcoólicas. “Quem bebe perde o medo e isso aumenta os riscos”, salienta.

Apesar de não haver um levantamento específico do número de casos envolvendo acidentes com fogos de artifício, o médico diz que as principais vítimas são crianças e adolescentes, que geralmente estão próximas a quem está soltando os fogos de artifício. As lesões atingem especialmente mãos e face.

Em caso de queimadura, o médico orienta a não usar nenhum produto ou substancia nas lesões. “Nem mesmo pomadas para queimaduras devem ser utilizadas. O melhor é lavar bem a queimadura com água corrente”, orienta. Para aliviar a dor, ele recomenda colocar compressa fria. Em seguida a vítima deve procurar um serviço de emergência ou o pronto socorro do HRAN.

O HRAN atende uma média de 180 vítimas de queimadura no pronto socorro todos os meses. Desse total, pelo menos 20 necessitam internação devido à gravidade das lesões. A unidade dispõe ainda de um ambulatório especializado com agenda aberta para atender os queimados que necessitam de acompanhamento e troca de curativo.

“Quem optar pelo uso de fogos deve seguir as recomendações da embalagem do produto, procurar um local isolado, longe de crianças; não direcionar o artefato para fios elétricos e imóveis e usar um suporte para deixar o rojão mais distante do corpo e aumentar a segurança” alerta Aguiar.

Além disso, o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, recomenda aos apreciadores de fogos que só comprem produtos licenciados pelo Ministério do Exército e em lojas credenciadas.

De acordo com o Ministério da Saúde, entre 2001 e 2010, mais de 100 pessoas, em todo o país, morreram vítimas de queimaduras por fogos de artifício e quase seis mil foram internados com ferimentos graves. 

Por Celi Gomes, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226