Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/02/18 às 19h36 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Saúde articula ações do plano integrado de enfrentamento à dengue

COMPARTILHAR

Pasta segue definindo estratégias para reduzir, ainda mais, o número de casos

BRASÍLIA (9/2/18) – O número de casos de dengue segue em redução no Distrito Federal. De acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, neste momento, a queda é de 45% se comparado ao mesmo período de 2017. Apesar desta situação favorável, que reflete o resultado de estratégias de prevenção adotadas anteriormente, a pasta planeja novas ações para estruturar a vigilância, notificações e a assistência. 

Os detalhes estão contidos no Plano integrado em saúde para prevenção, controle e enfrentamento da dengue e outras arboviroses, que está sendo finalizado, e que foi discutido com gestores da Região de Saúde Leste, nesta sexta-feira (9).

Com esta sensibilização, a Saúde de Brasília encerra uma etapa de sete encontros, em três semanas, com os principais dirigentes de todas as regiões de saúde do Distrito Federal, de diferentes níveis assistenciais, para tratar sobre o tema e alinhar como se dará o enfrentamento às arboviroses. De acordo com o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Daniel Seabra, a Atenção Primária à Saúde será de fundamental importância nesse processo.

“Tivemos uma expansão de cobertura brutal na atenção primária e ela já está bem estruturada. Hoje, nós temos praticamente cobertura suficiente para toda a população SUS dependente do DF. Portanto, os pacientes com dengue devem ser encaminhados a esse serviço e o nosso objetivo com o plano integrado é salvar vidas”, frisou Seabra.

O documento norteia como a Secretaria de Saúde e suas unidades devem atuar de acordo com os índices epidemiológicos do momento, desde a fase de prevenção às doenças aos cuidados e medidas a serem adotadas em um hipotético cenário de grande epidemia.

A metodologia do plano foi baseada no modelo denominado Sistema de Comando de Operações, recomendado pela Organização Mundial de Saúde. “Todas as informações contidas no plano podem ser utilizadas para qualquer elemento de saúde pública. Nele, estão pautadas a capacidade de organização e descentralização de ações. É mais um instrumento de resposta da Secretaria de Saúde ao período sazonal da dengue e outras arboviroses”, destacou o subsecretário de Vigilância à Saúde, Marcus Quito.

O plano está em elaboração desde o mês de outubro de 2017 e a previsão da pasta é que o lançamento ocorra ainda neste primeiro trimestre de 2018.