Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/06/14 às 21h20 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Saúde capacita profissionais para diagnóstico de Tuberculose

COMPARTILHAR

187 casos foram atendidos na rede pública

Com a parceria do Ministério da Saúde (MS), a Secretaria de Saúde (SES/DF) está capacitando seus servidores para o manuseio e realização de Teste Rápido Molecular para o diagnóstico da Tuberculose (TRM/TB). Foram cedidas quatro máquinas para serem distribuídas nas regionais prioritárias. Só este ano, 187 casos foram atendidos na rede pública.

O MS já treinou um monitor para acompanhar a rotina e o manuseio das máquinas que foram cedidas pelo (MS). Elas serão inseridas na rotina dos laboratórios de quatro regionais de saúde do Distrito Federal, paralelamente a implantação ao sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL) em nível nacional. “Fui capacitada para ser a monitora estadual aqui no Distrito Federal. Um responsável de cada laboratório também já recebeu o treinamento. Em julho será a segunda etapa para mais 30 técnicos, incluindo o DF e outros estados, que será realizado no Laboratório Central”, informou a monitora Estadual de TRM/TB, Glaura Caldo Lima.

A implantação do TRM/TB é uma iniciativa do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT), do Ministério da Saúde. A primeira grade de distribuição dos equipamentos foi para os hospitais regionais da Asa Norte, Gama, Taguatinga e Paranoá. “O Distrito Federal recebeu quatro máquinas que serão disponibilizadas no laboratório desses hospitais juntamente com seus insumos. Essas máquinas vão agilizar o diagnóstico da tuberculose e fornecer o perfil de sensibilidade à Rifampicina”, disse a Gerente de Doenças Crônicas e Agravos Transmissíveis, Rosa Nancy.

A técnica utilizada para o exame de TRM/TB é a Reacção em Cadeia da Polimerase (PCR) em tempo real que será realizada diretamente do escarro do paciente, no qual também será avaliada a resistência da bactéria ao medicamento Rifampicina, principal droga do tratamento da tuberculose. Todos os pacientes terão que ser cadastrados no GAL.“O cadastramento no GAL é uma das exigências do Ministério da Saúde para que haja um monitoramento da doença”, afirmou Glaura. “Em breve vamos comunicar o pleno funcionamento nas regionais, estamos dependendo dos trâmites legais para que aconteça”, completou.

De acordo com o último Boletim Epidemiológico de Tuberculose da Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS), março 2014, o Distrito Federal teve uma incidência de 10,8% da doença se somadas todas as notificações das 15 regionais de saúde, em 2013. Quem teve a maior incidência foi a regional de São Sebastião com 16,3 %, seguida de Planaltina com 16,2 % e Paranoá com 14,8 %. “Neste ano de 2014, tivemos 187 casos, desses 151 são de residentes do DF, 29 de Goiás, quatro de Minas Gerais, dois da Bahia e um do Piauí”, disse Rosa Nancy.

Sintomas:

Tosse por mais de três semanas, acompanhada ou não de febre no fim do dia;
Suor noturno;
Falta de apetite;
Perda de peso;
Cansaço ou dor no peito.

Se você estiver com esses sintomas, procure uma Unidade de Saúde. A tuberculose tem cura, se tratada adequadamente. A medicação é gratuita.

Saiba onde encontrar as regionais de saúde: http://goo.gl/04UKTz

Luana Lemes, da Agência Saúde DF