Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/01/13 às 18h51 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Saúde da família aumenta vínculo com paciente na área rural

COMPARTILHAR

Visitas domiciliares e dicas sobre prevenção da saúde

No Recanto das Emas, o resultado do trabalho de uma equipe da Estratégia Saúde da Família (ESF) mostra a importância de estabelecer vínculo com os moradores, quando se trata da atenção primária, nível de saúde que previne as doenças e suas complicações. Para a equipe de saúde 393, que atua na área rural Casa Grande, esta aproximação com o paciente é uma ferramenta de trabalho fundamental.

A equipe 393 conta com uma estrutura física erguida pela comunidade, por meio da Associação dos Proprietários e Produtores do Núcleo Rural Casa Grande. A unidade tem consultório médico e de enfermagem, consultório odontológico, sala de espera, farmácia e outros serviços disponibilizados a cerca de 2.500 moradores da região. A equipe é composta por uma médica, uma enfermeira, um dentista, duas técnicas de enfermagem, uma técnica de saúde bucal e três agentes comunitárias de saúde.

Na manhã dessa terça-feira (29) a paciente Maria José de Sousa, de 83 anos, acompanhada pela filha, Maria de Fátima de Sousa, foi buscar o medicamento contra hipertensão no posto que abriga a equipe. Após medir a pressão arterial com a auxiliar de enfermagem Ângela Maria Vasconcelos, a paciente recebeu instruções para evitar acidentes domésticos e foi alertada para evitar os tapetes soltos e sempre usar sandálias de borracha que não estejam gastas para não correr o risco de quedas.

Durante a conversa, entre uma orientação e outra a paciente viu algumas fotos dos filhos da médica da unidade, Andreia Silva Barros e ficou sabendo que deve fazer cinco cópias da receita para que possa receber a medicação contra a hipertensão durante várias vezes. “Nós sempre viemos aqui porque o centro de saúde do Recanto fica longe para nós”, disse Maria José, fazendo questão de posar junto com a equipe para uma fotografia. “Aqui são todos muito bons comigo”, reiterou ao ir embora com a filha, uma neta e um bisneto, todos pacientes do Saúde da Família.

Segundo a médica Andreia Barros, há quatro anos na equipe, o vínculo com o paciente é importante porque contribui para o levantamento de informações essenciais para os tratamentos. “A maioria dos nossos pacientes é de idosos com hipertensão, alguns apresentam também diabetes, e a orientação assume um papel relevante. Daí a importância do paciente conhecer e confiar no profissional que o atende”, revelou.

Cerca de 40 a 50 pacientes recorrem ao posto diariamente e a equipe também tem como competência as visitas domiciliares, onde são feitas as buscas ativas de casos. Durante a busca ativa, o agentes comunitário de saúde levanta os problemas e os traz a equipe, que decide como será o acompanhamento do paciente, como foi o caso de Sebastião Tomás da Silva, que é diabético e evitou uma amputação de pé por meio de visitas diárias feitas pela equipe em sua casa. “É uma satisfação muito grande ver a recuperação do paciente e no caso do senhor Sebastião foi maior ainda porque nós pudemos intervir a tempo”, justificou a agente comunitária de saúde Ângela Maria Arruda.

A equipe em Casa Grande é subordinada à Coordenação Geral de Saúde do Recanto das Emas e tem orientação direta das enfermeiras Daise Alves de Melo e Janilva Campos Martins. Segundo Daise, uma das metas é fazer com que as coletas para exames ocorram na própria unidade, a fim de evitar que o paciente tenha que se deslocar aos centros de saúde.

Arielce Haine