Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/01/14 às 17h03 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde de Planaltina aplicou mais de 110 mil vacinas em 2013

COMPARTILHAR

Regional conta com cinco salas de imunização

Cerca de 110 mil vacinas foram aplicadas de janeiro a outubro de 2013, na regional de Saúde de Planaltina, que conta com cinco salas de imunização nos centros de saúde, Estratégia Saúde da Família do Vale Amanhecer e no Hospital Regional de Planaltina (HRP). Além disso, uma equipe leva vacinas aos nove postos rurais duas vezes por semana.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Planaltina, Alana Rufino, a vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças. “Elas protegem o corpo humano contra os vírus e bactérias que provocam vários tipos de doenças graves, que podem afetar seriamente a saúde das pessoas e inclusive levá-las à morte”, informa.

No Distrito Federal, a Secretaria de Saúde oferece gratuitamente vacinas contra diversas doenças. “Todos devem estar atentos ao calendário básico de vacinação, devem levar os filhos e estimular os parentes a irem aos Centros e Postos de Saúde mais perto de casa para serem vacinados nas idades recomendadas”, diz a técnica de enfermagem da sala de vacina do hospital, Luciene Menezes.

A dona de casa Marcela Soares levou o filho de dois anos, Italo Soares, para receber a suplementação da vitamina A. “É muito importante que todos reconheçam que a vacinação é uma forma de prevenção.” diz.

O hospital de Planaltina, onde 800 crianças são vacinadas em média por mês, funciona como Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais, (CRIE) e presta atendimento, em especial os portadores de imunodeficiência congênita ou adquirida e de outras condições especiais de morbidade ou exposição a situações de risco.

As vacinas podem ser aplicadas por meio de injeção ou por via oral. “Quando a pessoa é vacinada, seu corpo detecta a substância da vacina e produz uma defesa, os anticorpos. Esses anticorpos permanecem no organismo e evitam que a doença ocorra no futuro”, explica Alana.

O profissional de saúde deve verificar o prazo de validade antes e após diluição (se for o caso), checar o aspecto e a cor do produto, instruir-se sobre qual via de administração é recomendada, escolher o melhor local de aplicação e utilizar seringa ou agulha adequada a cada tipo de produto. As vacinas injetáveis devem ser administradas distante de locais capazes de ocasionar lesões vasculares, teciduais ou nervosas.

 

Calendário de Imunização do Distrito Federal

Idade

Vacinas

Ao nascer

BCG + Hepatite B

1 mês

Hepatite B

2 meses

Tetravalente (DTP/Hib) + Poliomielite (VOP) + Rotavírus (VORH)

3 meses

Pneumocócica 10  valente + Meningocócica C

4 meses

Tetravalente (DTP/Hib) + Poliomielite (VOP) + Rotavírus (VORH)

5 meses

Pneumocócica 10  valente + Meningocócica C

6 meses

Tetravalente (DTP/Hib) + Hepatite B + Poliomielite (VOP)

12 meses

Tríplice Viral (SCR) + Febre amarela

13 meses

Meningocócica C

15 meses

Tríplice bacteriana (DTP) + Poliomielite (VOP) + Pneumocócica 10 valente

4 – 6 anos

Tríplice bacteriana (DTP) + Tríplice viral (SCR)

10 – 11 anos

Febre amarela

14 – 16 anos

Dupla adulto (DT)

07 – 19 anos

Tríplice viral (SCR)

Mulher de 20 – 49 anos

e puérpera

Tríplice viral (SCR)

Homem de 20 – 39 anos

Tríplice viral (SCR)

60 anos e mais

Pneumococo 237 + Influenza