Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/09/17 às 18h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Saúde investe no fortalecimento do Samu

COMPARTILHAR

Reforma de bases e aquisição de ambulâncias estão em andamento

BRASÍLIA (15/9/17) – O fortalecimento da atuação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) é uma das prioridades entre as medidas estratégicas adotadas pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal. A estrutura, considerada de grande relevância para prestar serviços essenciais à população, está sendo contemplada com reforma de bases, manutenção de equipamentos, recredenciamento, aquisição de novas ambulâncias, contratação de seguro dos automóveis, entre outras ações reestruturantes.

O início da regularização das bases descentralizadas, que não tinham a cessão dos terrenos, o que impedia realizar as reformas necessárias para que o DF recebesse incentivos financeiros do governo federal, foi um dos passos essenciais para aprimorar a atuação do Samu. O trabalho feito até possibilitou a reforma de 13 das 29 bases, graças às parcerias com a Novacap, com a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social e com administrações regionais.

“As bases descentralizadas reformadas foram vistoriadas pelo Ministério da Saúde, aprovadas e reabilitadas”, informou o diretor do Samu, Rafael Vinhal. A previsão é que os recursos recebidos a partir de agora possam financiar a adequação das demais bases. Segundo ele, o DF recebe R$ 385.875 mil do governo federal pelas bases reformadas, além de R$109 mil pela Central de Regulação.

Vinhal também ressaltou que o projeto de construção de até 30 novas bases descentralizadas já foi enviado para iniciar o processo de licitação. A ação ocorre por intermédio de convênio com a Novacap. “O Governo de Brasília não tem medido esforços para a reabilitação do Samu-DF, inclusive, monitorando o processo de reabilitação do serviço para reestabelecer o repasse para custeio e manutenção do serviço”, enfatizou

AMBULÂNCIAS – Por intermédio de emendas parlamentares federais, o serviço receberá, em 150 dias, 19 novas ambulâncias – para 2018 está prevista a aquisição de mais 11. Todos os veículos estão na base do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), exceto os reservas.

As ambulâncias reabilitadas pelo Ministério da Saúde também passaram a contar com contrato de seguro desde julho deste ano. Além disso, a manutenção dos veículos é realizada regularmente, de forma corretiva e preventiva. Vale destacar que 30% da frota constituem uma reserva para substituição de viaturas em manutenção.

Já a limpeza das ambulâncias é feita pelas equipes do Samu 192 DF e será vistoriada pelos núcleos de Controle de Infecção, Hotelaria e Qualidade e Segurança do Paciente, estruturas previstas no complexo regulador.

EQUIPAMENTOS – Para atender às exigências do Ministério da Saúde, a Secretaria de Saúde passou a contratar a manutenção dos equipamentos com verba de contrapartida de universidades particulares que realizam estágio nas unidades da pasta, possibilitando a conservação de respiradores, oxímetros (aparelho que monitora os níveis de saturação de oxigênio no sangue e a frequência cardíaca), monitores cardíacos e outros equipamentos. 

RECURSOS HUMANOS – O diretor Vinhal explica que não há déficit de recursos humanos expressivo nas bases. O serviço tem funcionado adequadamente, de forma ininterrupta. Para realizar a cobertura de 100% da população do Distrito Federal, são empregados profissionais em escalas contratuais de trabalho e ofertadas horas extras para fechamento das escalas.

As viaturas operam apenas com um técnico de enfermagem, conforme recomendação do Ministério da Saúde, por meio da Portaria GM/MS 1.010/2012. O redimensionamento do quadro de técnicos de enfermagem nas viaturas, de dois para um técnico por viatura, também faz parte das ações necessárias para sanar o déficit de técnicos de enfermagem no Samu-DF.

“Assim como em toda a secretaria, enfrentamos um déficit de médicos no serviço. Com a substituição gradual e progressiva da carência desses profissionais, poderemos ampliar a cobertura de suporte avançado de vida à população”, disse Vinhal.

PRODUTIVIDADE E REDE – O Distrito Federal implantou o Samu em agosto de 2005 com a finalidade de prestar socorro à população em casos de urgência e emergência. São oito mil atendimentos in loco, além de 78 mil teleatendimentos mensalmente.

Atualmente, o serviço tem sete núcleos de Apoio Pré-Hospitalar, que se subdividem em 29 bases descentralizadas, com 30 ambulâncias básicas e cinco avançadas funcionando plenamente.

O Samu-DF e sua Central de Regulação de Urgências 192 foram reestruturados em uma diretoria integrada: a Diretoria do Complexo Regulador do Distrito Federal. Essa medida fortalecerá os processos de trabalho do órgão, que passará a regular todas as urgências pré-hospitalares e hospitalares.