Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/07/13 às 14h20 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

DF mostra experiências em congresso nacional de saúde

COMPARTILHAR

Evento coloca a eficácia do SUS em discussão

 

Atendimento às vítimas de violência, os caminhos para uma convivência saudável na perspectiva da Saúde, os cinco passos para uma melhor qualidade de vida e o Programa de Internação Domiciliar foram as experiências bem-sucedidas levadas pela Secretaria de Saúde do DF ao XXIX Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). O evento, aberto nesse domingo (7), vai até quarta-feira (10), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

 

Com o tema “Responsabilidade interfederativa no SUS: Desafios e agenda dos municípios”, o congresso deste ano abre espaço para discutir questões e propor soluções para a saúde pública brasileira, especificamente o Sistema Único de Saúde, que ainda enfrenta problemas depois de 25 anos de história. Paralelamente, acontece o X Congresso Brasileiro de Saúde, Cultura de Paz e Não-Violência.

 

Ao longo dos quatro dias de evento serão desenvolvidas oficinas, seminários, lançamentos de publicações, painéis, mesas redondas e “Café com Ideias” abordando diversos temas ligados a saúde pública e políticas de saúde. Além dessas atividades, o Congresso conta com a feira “Brasil Aqui tem SUS”, com estandes de diversas instituições expondo suas experiências e mecanismos de interação com o sistema. A Secretaria de Saúde do DF montou um estande no local para divulgação das ações no DF.

 

Para o presidente do Conasems, Antônio Carlos Figueiredo, conforme divulgado pela entidade, este é bom momento para a discussão sobre os problemas enfrentados pelo SUS ser aprofundada. “Precisamos encontrar soluções e melhorar ainda mais o sistema”, disse. Segundo ele, também é uma ótima oportunidade para a troca de ideais com gestores de todo o país, outros trabalhadores da saúde, pesquisadores, usuários dos serviços e demais atores que constroem a saúde pública brasileira.



Marcos Machado