Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/04/17 às 18h40 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Saúde participa do lançamento do programa Criança Candanga

COMPARTILHAR

Proposta é integrar serviços para crianças e adolescentes

BRASÍLIA (6/4/17) – Com a proposta de integrar a rede de serviços voltados para crianças e adolescentes no Distrito Federal, o Governo de Brasília lançou o programa Criança Candanga, nesta quinta-feira (6). A ideia é priorizar políticas de Estado, com destaque para a Saúde e também outras áreas como assistência social, educação, cultura, esporte e lazer. A solenidade foi realizada no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, com a presença de autoridades, estudantes, bombeiros-mirins, entre outros públicos.

“Esse programa significa a soma de esforços do governo em uma luta efetiva pela infância e juventude. Nosso compromisso é sério no sentido de fazer valer o Criança Candanga, que nasce para consolidar direitos previstos na nossa Constituição Federal”, destacou a colaboradora do governo, Márcia Rollemberg, esposa do governador Rodrigo Rollemberg. Ela explicou que o símbolo do projeto é JK (Juscelino Kubitschek), que remete ao espírito de luta dos candangos.

Márcia citou, ainda, que as ações do programa no que se refere a saúde devem começar desde o início da vida. “Hoje, sabemos que oferecemos uma rede serviços superior a muitos estados para as nossas crianças. Setenta por cento das nossas gestantes fazem mais de sete consultas de pré-natal, temos o parto humanizados, trabalhos para prevenção da gravidez na adolescência e o teste do pezinho ampliado para diagnosticar 31 doenças nos recém-nascidos”, disse. Ela lembrou que o DF registrou em 2015 as menores taxas de mortalidade infantil dos últimos 16 anos, com 10.6 óbitos por mil nascidos vivos.

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude ficará à frente do Criança Candanga, e buscará a integração dos órgãos e a participação da sociedade civil. “Temos muito o que avançar nas políticas para as crianças e adolescentes. Sabemos que ainda existem casos de violência contra os jovens e temos que combatê-la e, sobretudo, garantir todos os seus direitos”, disse o governador, Rodrigo Rollemberg.

“Já estamos com um cronograma de ações para ampliar nossos serviços, entre eles, o de atenção primária, que representa melhorias na assistência à saúde da criança. Também está em construção o segundo bloco do Hospital da Criança. São mais de 200 novos leitos de internação infantis, sendo 38 de UTI”, enumerou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, ao dizer que o apoio das outras secretarias será muito benéfico para assistir esse público em sua totalidade.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, reforçou que o Distrito Federal tem tudo para ser a capital da criança. “Estamos vendo a mobilização do DF para priorizar as crianças. Essa é a única unidade da federação que possui uma secretaria especifica para tratar dessa temática. O Criança Candanga, aliado à ratificação da adesão ao Criança Feliz, mostra o compromisso do DF com a pauta”, destacou, ao lado do representante das Nações Unidas no Brasil, Nick Fabiancic.

SAIBA MAIS – O Criança Candanga preza por redes integradas de proteção, respeito à diversidade, prioridade às gestantes e políticas de proteção para a primeira infância, iniciação profissional, bem como desenvolvimento integral de crianças e adolescentes.

O programa é dividido em quatro eixos: consolidação e ampliação dos direitos da criança e do adolescente com a definição de marcos legais, institucionais e programáticos; ampliação, integração, aperfeiçoamento e garantia da política de atendimento à criança e ao adolescente; difusão dos direitos da criança e do adolescente, com o desenvolvimento de ações educativas, de comunicação e de fomento aos direitos humanos; e fortalecimento das instâncias de participação e controle social e das ações voluntárias, solidárias e inclusivas para a efetividade dos direitos da criança e do adolescente.

Para facilitar o acesso da população ao Criança Candanga, foi criado um site com dados sobre a rede de atendimento à infância e à adolescência, além de informações relacionadas aos programas e projetos ligados às pessoas de até 18 anos, conforme estabelece a Convenção Sobre os Direitos da Criança.

 

Confira as fotos aqui.