Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/01/15 às 11h11 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Saúde registra primeiro caso de Febre Chikungunya no DF, em 2015

COMPARTILHAR

Evitar água parada é principal medida de combate à doença

BRASÍLIA (15/01/2015) – A Secretaria de Saúde (SES) registrou, nessa terça-feira (13), o primeiro caso deste ano de Febre Chikungunya contraída no Distrito Federal. Um homem, morador do Guará II, deu entrada nos serviços de saúde da região administrativa em dezembro, foi medicado, acompanhado pelas equipes médicas e já está de alta.

Ao todo, incluindo esta ocorrência, são sete casos confirmados na capital federal. No entanto, apenas três são classificados como autóctones – quando a contaminação acontece na própria cidade em que reside o paciente.

Segundo a diretora de Vigilância em Saúde Ambiental (Dival), Quênia Cristina de Oliveira, desde o momento em que a SES foi notificada, equipes intensificaram os trabalhos na região em que o paciente foi infectado.

“Recebemos a notificação e temos que fazer a eliminação do mosquito para evitar que novos casos apareçam. Fizemos o chamado bloqueio, que são as vistorias e limpeza e esperamos terminar as ações na semana que vem”, explicou.

A doença é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, que se prolifera usando a água parada, assim como a dengue. É caracterizada, principalmente, por febre alta, cansaço, dores musculares, indisposição, enjoos e vômitos.

De acordo com a diretora da Vigilância Epidemiológica (Divep), Lígia Paixão, apesar de ser a terceira notificação de contaminação no DF – a primeira deste ano – não há motivo para que a população entre em pânico.

“É o mesmo mosquito da dengue e o combate é o mesmo, evitando água parada. A população não deve ficar assustada e, caso apareçam sintomas, procurar uma unidade de saúde e não tomar ácido acetilsalicílico”, orientou.

NÚMEROS – Segundo levantamento da Secretaria de Saúde, em 2014 foram notificados 33 casos. Destes, 25 foram descartados, seis confirmados (sendo quatro de fora e dois do DF), além de dois que estão em investigação. Neste ano, existem dois casos em investigação, e um, do Guará, confirmado.

Confira algumas dicas que devem ser seguidas para evitar a Chikungunya e a dengue:

* Remover folhas, galhos e tudo que possa acumular água;
* Verificar se a caixa d´água está fechada adequadamente;
* Entregar pneus velhos ao SLU ou guardá-los em local sem água;
* Verificar se as garrafas estão guardadas de cabeça para baixo;
* Esvaziar os pratos dos vasos de plantas e escová-los com água e sabão, pois os ovos depositados em recipientes podem sobreviver, mesmo em condições desfavoráveis, por até 450 dias.