Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/05/17 às 17h30 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Saúde visita escola para imunizar professores contra H1N1

COMPARTILHAR

Ação busca estimular vacinação de docentes

BRASÍLIA (3/5/17) – Com o intuito de incentivar os professores das escolas públicas e privadas a procurarem os postos para imunização contra H1N1, o Governo de Brasília e o Ministério da Saúde promoveram a vacinação de 25 docentes da Escola Classe 302 Norte, na manhã desta quarta-feira (3). Os professores foram recentemente incluídos no público-alvo de vacinação contra a gripe para diminuir o absenteísmo dos profissionais e dos alunos, o que prejudica o aprendizado.

“Vocês sabem da importância da vacinação para evitar doenças e garantir uma saúde melhor, por isso, precisam também estimular os avós, professores, crianças menores de cinco anos e membros da família que fazem parte do público-alvo a buscarem a imunização”, orientou o governador Rodrigo Rollemberg aos 259 estudantes do 1º ao 5º ano da escola.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, destacou que a ação é o primeiro ato da nova Portaria Interministerial Saúde na Escola, publicada em abril pelo governo federal, que inclui a vacinação, o controle e a atualização da caderneta nas escolas, entre outras medidas.
“Queremos fazer com essa integração, saúde nas escolas, um benefício para toda a sociedade. Em todo o Brasil, serão vacinados 2,3 milhões de professores, o que causa um efeito de demonstração para as crianças não terem medo de vacinar, mas para entenderem que é importante e, a partir do exemplo dos professores, passarão a buscar a vacinação junto com a família”, disse o ministro.

Segundo ele, o Programa Nacional de Vacinação investe anualmente R$ 3,9 bilhões para a compra de 300 milhões de doses dos 19 tipos de vacinas distribuídas aos estados e municípios brasileiros. “Esse é o melhor programa de imunização do mundo”, elogiou. Barros destacou que a febre amarela está sob controle em todo o território nacional. Informou ainda que tão logo seja finalizada a imunização contra H1N1, será iniciada vacinação regular contra febre amarela nas áreas que ainda não eram recomendadas.

BAIXA PROCURA – De acordo com dados oficiais da Secretaria de Saúde, dos 26.568 professores que atuam no Distrito Federal, apenas 2,2 mil (8,3%) foram aos postos receber as doses desde o início da campanha, em 17 de abril. Entre as 184.047 crianças menores de 5 anos, 9.810 (5,3%), foram imunizadas. Já o panorama geral aponta que das 687.155 pessoas que integram o público alvo no DF, 12% (81 mil) receberam as doses.

O secretário de Saúde do DF, Humberto Fonseca, destacou que apesar de a expectativa ser imunizar 30% da população apenas no Dia D, em 13 de maio, é importante que as pessoas compareçam aos postos para vacinação o quanto antes.“Estamos com baixa cobertura, principalmente, para professores e crianças. Para evitar filas e desconforto, a orientação é que as pessoas procurem as unidades básicas de saúde antecipadamente, em dias úteis”, alertou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

PÚBLICO-ALVO – A campanha abrange profissionais de saúde, professores, povos indígenas, gestantes em qualquer idade gestacional, puérperas (até 45 dias pós-parto) e crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos 11 meses e 29 dias). Inclui ainda população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em cumprimento de medidas socioeducativas, indivíduos com idade superior a 60 anos e portadoras de doenças crônicas e outras categorias de risco clínico.

DIA D – No Dia de Mobilização Nacional, em 13 de maio, 150 postos de vacinação no Distrito Federal funcionarão, ininterruptamente, das 8 às 17h. Nos demais dias, as doses estarão disponíveis na rotina das salas de vacinas do DF.

Confira aqui as fotos.