Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/17 às 21h47 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Secretaria de Saúde inaugura primeiro ambulatório trans de Brasília

COMPARTILHAR

Atendimento aos usuários começa a partir do dia 21 de agosto

BRASÍLIA (14/8/17) – A inauguração do primeiro ambulatório trans do DF, realizada nesta segunda-feira (14), ocorreu em clima repleto de significados, como se fosse a página virada de um passado de exclusão social, marginalização e não reconhecimento, renascido “numa tarde”, nas palavras do Secretário de Saúde, Humberto Fonseca, “que poderia ser resumida em termos como dignidade, respeito e, principalmente, equidade – um dos princípios básicos do Sistema Único de Saúde.”

A nova unidade, localizada no Hospital Dia da 508/509 Sul, prestará atendimento à população trans do DF a partir do dia 21 de agosto em suas necessidades específicas e ainda deverá funcionar como referência para que estudantes, estagiários e profissionais de saúde possam conhecer a realidade do segmento. “Esse é o primeiro passo, mas de suma importância para o avanço na atenção ao público em Brasília, que deve garantir direitos de forma igual a todas as pessoas e não pode mais aceitar preconceitos do século dezenove”, avalia o secretário.

“Só quem passou pelas inúmeras dificuldades em receber atendimento especializado é capaz de entender a importância de um ambulatório trans aqui no Distrito Federal, em questões como a atenção psicossocial, fundamentais para o resgate da nossa dignidade”, afirmou em sua fala a representante da Associação do Núcleo de Apoio e Valorização à Vida de Travestis, Transexuais e Transgêneros do DF e Entorno (AnavTrans), Ludmila Santiago, “pois essas pessoas não sabem os direitos que têm.

ARTE – Enquanto a solenidade de inauguração prosseguia, um extenso mural sobre o tema ganhava forma no muro lateral do Hospital Dia, emergindo dos movimentos precisos dos artistas do grupo de grafite Transcrew – um quadro carregado de símbolos representativos de uma cultura ainda desconhecida pela maioria da sociedade, principiada na parte superior com a contundência do enunciado “você é do tamanho dos seus sonhos.

“Escrevi essa frase como a idealização da nossa vontade”, pontua Christopher João Souza, integrante do grupo, que sentiu na própria pele as dificuldades de ser homem trans. Sem ter a quem recorrer, ele admite que usou hormônios adquiridos no mercado paralelo, “mesmo consciente dos graves problemas de saúde que poderia ter, como a trombose ou até mesmo coisas piores.”

Felizmente, ao contrário de muitas pessoas trans que adquirem e tomam hormônios sem receita e acompanhamento médico, Christopher foi atendido em tempo, não tendo sofrido sequelas da automedicação. “Consegui uma consulta com o endocrinologista depois de seis meses. Por isso, hoje é um dia especial para a população trans, resultado de muita luta. Temos uma demanda diferenciada e necessitamos de atendimento especializado.

Uma premissa com respaldo de ação de Estado, afirmada pelo governador Rodrigo Rollemberg, que encerrou a solenidade de inauguração pontuando que “a diversidade da cidade tem de ser reconhecida e respeitados os princípios do SUS, com tratamento especializado para pessoas especiais”. Ele enumerou os avanços na atenção ao público no DF, como o decreto que permitiu o uso do nome social, inclusive na carteira de identidade. “Na verdade são mais do que direitos de um grupo, em última análise, tratam-se de direitos humanos”, conclui.

Para ter acesso aos serviços, os interessados podem se dirigir ao ambulatório trans de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e das 14h às 16h, e agendar a participação nos grupos de entrada. A unidade contará com equipe multiprofissional, prestando assistência em psicologia, psiquiatria, serviço social, endocrinologia e enfermagem.

Confira aqui as fotos.