Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/18 às 18h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Secretário defende desburocratização em congresso internacional

COMPARTILHAR

Evento promovido pela UnB tem a participação de estudantes, professores e pesquisadores

BRASÍLIA (20/3/18) – Reduzir a burocracia na administração pública para elevar a eficiência da gestão foi o posicionamento defendido pelo Secretário de Saúde do DF, Humberto Fonseca, durante o I Congresso Internacional sobre Gestão Pública e Saúde. O evento, que começou nesta terça (20) e se estende até quarta-feira (21), é promovido pela Universidade de Brasília (UnB).

“A administração pública do Brasil, da forma que existe hoje, com 30 anos de evolução da Constituição Federal, não é capaz de dar as respostas que a população precisa. Não tenho dúvida de que as regras desse sistema são incompatíveis com a gestão da saúde”, ressaltou Fonseca.

Ele citou que, atualmente, o serviço público tem dificuldade em comprar medicamentos, insumos e realizar desde contratos de manutenção até a contratação de pessoal. Além disso, com a elevação do atendimento tecnológico na saúde, o processo de envelhecimento da população e os efeitos da crise econômica, que levou à migração de pessoas da saúde privada para a pública, são necessários investimentos em novos modelos para o setor público.

“Temos aproximadamente 2,5 milhões de pessoas nos útilmos três anos, no Brasil, que interromperam o pagamento de planos de saúde. Contamos com um serviço universal e integral, mas é preciso planejamento, porque o orçamento sempre será restrito. A riqueza do país é limitada”, enfatizou, ao lembrar que há pessoas perdendo empregos e a maior parte dos planos em operação no mercado são corporativos.

foto baixa 2  I congresso internacional de saude publica

O secretário destacou, ainda, que atualmente todas as instâncias de governo estão buscando modelos alternativos para vencer a burocracia presente na gestão da saúde. Estados como São Paulo e Goiás estão investindo em Organizações Sociais; no Rio Grande do Sul foi criada a empresa pública Hospital das Clínicas de Porto Alegre; e, na esfera Federal, há o Serviço Social Autônomo, como é o caso da Rede Sarah e da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

“No DF, houve a criação do Instituto Hospital de Base – um grande avanço, que considero um passo em direção ao futuro, porque descentraliza e vem com uma proposta para vencer todos esses desafios que não podem ser superados com rigidez do sistema de administração pública hoje existente”, destacou.

O Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (IHBDF) é serviço social autônomo. Ele conta com autonomia e descentralização, ferramentas mais ágeis e modernas para a contratação de novos servidores, manutenção, serviços e aquisição de medicamentos.

Também fizeram parte da mesa na abertura do evento o professor diretor da Faculdade de Administração Pública, Contabilidade e Gestão Pública, Eduardo Tadeu; superintendente da Fundação de Apoio à Pesquisa, Flávia Martins; editor-adjunto da Revista Gestão e Saúde, professor doutor João Bihim; e o Controlador Geral do Distrito Federal, Henrique Ziller.

foto baixa 3  I congresso internacional de saude publica

CONGRESSO – O I Congresso Internacional sobre Gestão Pública e Saúde é um espaço institucional para palestras, workshops em pesquisa quantitativa e pesquisa qualitativa, fóruns de discussão de pesquisas recentes na área de Gestão Pública e Saúde com abordagens quantitativa e qualitativa. Também estabelece a oportunidade de construção de network com pesquisadores brasileiros e estrangeiros.

O objetivo é contribuir para a ampliação dos estudos e diálogos científicos, superando as fronteiras nacionais, de modo a qualificar, aprofundar e adensar teórico-cientificamente o campo de produção de conhecimento. Além disso, visa à promoção da articulação entre a academia e a gestão pública no campo da saúde, proporcionando um amplo encontro para a geração, utilização de conhecimentos científicos e formulação e a implantação de políticas no setor.

Na programação estão previstos os painéis Avaliação em Saúde, Repensar a Saúde: Modelo – Financiamento – Gestão – Assistência; Gestão do Cuidado Tecnologia, além de apresentação de trabalhos e o workshop “Publicação internacional de artigos científicos”.

Confira a galeria de fotos.