Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/12/19 às 16h00 - Atualizado em 2/12/19 às 16h00

Servidores e voluntários do HRT são homenageados na CLDF

COMPARTILHAR

Os profissionais participaram da força-tarefa do Outubro Rosa e do Novembro Azul

 

Os profissionais da saúde que participaram da força-tarefa de reconstrução de mama, em alusão ao Outubro Rosa, e de retirada do câncer de próstata, no Novembro Azul, foram homenageados na Câmara Legislativa do Distrito Federal nesta segunda-feira (2 de dezembro). A Sessão Solene foi realizada a pedido do deputado distrital Jorge Vianna, que também atuou como voluntário nas duas ações concretizadas pelo Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

 

Representando a superintendência da Região de Saúde Sudoeste, a diretora administrativa agradeceu aos profissionais que trabalharam nas duas iniciativas. “Parabenizo a todos os envolvidos nas duas ações realizadas no HRT. Eu estou diretora administrativa, mas sou servidora da Secretaria de Saúde há 19 anos e venho representando os servidores de todas as categorias, bem como os colaboradores, que foram fundamentais para o êxito dos trabalhos”, destacou a gestora.

 

Como proponente da homenagem, o Jorge Vianna frisou o esforço das equipes na realização do trabalho. Ele manifestou publicamente a intenção de destinar verbas para as ações de força-tarefa.

 

BALANÇO – A ação do Outubro Rosa acontece no HRT há quatro anos e na última edição realizou 73 cirurgias em 65 mulheres. Foram mastectomias, implante de silicone, reconstrução de mamas, mamilos e auréolas. Todos os procedimentos foram realizados de 21 a 25 de outubro.

 

Ao todo, 38 cirurgiões, 24 anestesistas, dez enfermeiros, 30 técnicos e três tatuadores trabalharam como voluntários no Centro Cirúrgico.

 

Já as cirurgias do Novembro Azul somaram 40 procedimentos, realizados às terças e quartas-feiras. Esta foi a terceira edição da ação que beneficiou pacientes urológicos da unidade, com cirurgias de retirada de câncer de próstata e outras patologias.

 

Como uma das coordenadoras do Outubro Rosa, a cirurgião plástica, Isabelle Montanha Barbosa, relembrou como foi a origem da ação e as motivações da equipe médica. “A força-tarefa surgiu de uma demanda reprimida que nós tínhamos de mulheres que eram vencedoras do tratamento de câncer, mas que tinham sequelas graves. E ficavam na fila por muito tempo aguardando o tratamento (reconstrução) e não tinham oportunidade, no centro cirúrgico, porque há uma demanda muito grande das várias áreas”, explicou a médica.

 

Ela ainda destacou que o trabalho do voluntariado também acontece na ornamentação, na confecção das roupas de cama, camisolas, kits e outras ações que antecedem a cirurgia e preparam o hospital para aquele momento.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF