Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/05/13 às 15h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Telemedicina faz mais de 6.300 eletrocardiogramas em dois meses

COMPARTILHAR

Serviço funciona em 92 unidades da rede pública de Saúde

Em dois meses de funcionamento, a telemedicina em cardiologia da Secretaria de Saúde realizou mais de 6.300 eletrocardiogramas. O serviço funciona em 92 unidades saúde – ao todo, serão 200 – e tem como objetivo descentralizar os exames, antes feitos apenas em hospitais, e zerar a fila de espera pelo procedimento.

“A telemedicina em cardiologia é um serviço eficiente, em que a população tem o diagnóstico em poucos minutos”, destaca o secretário de Saúde, Rafael Barbosa, acrescentando que isso é possível, pois nesse método, médicos recebem o resultado e emitem o laudo à distância.

Todos os hospitais, centros de saúde, unidades de pronto atendimento e clínicas da família receberão a tecnologia até o final de junho, num total de 200 pontos. “O serviço vai ajudar a reduzir a mortalidade por problemas cardíacos no DF, pois proporciona um diagnostico precoce”, relata a Coordenadora de Cardiologia da SES, Edna Maria Marques.

A médica conta que há poucos dias um paciente atendido num centro de saúde teve o diagnostico de início de infarto realizado via telemedicina, e saiu da unidade diretamente para i Instituto de Cardiologia para fazer uma angioplastia.

Os exames são analisados prontamente por especialistas do Hospital do Coração de São Paulo, via telecomunicação. Os resultados são enviados por telefone ou internet para a equipe de São Paulo e eles encaminham, em poucos minutos, o laudo do paciente.

De acordo com levantamentos da SES, cerca de 10 mil pacientes aguardavam pelo procedimento no início de março. “Essa fila já foi reduzida e após a instalação de todos os pontos, a demanda será zerada”, aponta o assessor do Escritório de Projetos Estratégicos da SES, Ricardo Gamarski.

Até agora, foram feitos 6.328 procedimentos de Tele Eletrocardiograma (Tele ECG). A expectativa é de que sejam realizados aproximadamente 20 mil diagnósticos por mês, entre Tele ECG, Tele Holter, tele monitoramento ambulatorial da pressão arterial (Mapa) e Segunda Opinião, quando todo o sistema estiver implantado.

O Tele ECG será realizado em todos os hospitais e centros de saúde do DF. Os demais exames serão disponibilizados em unidades que têm a especialidade de cardiologia, como o Hospital de Base e os hospitais regionais de Taguatinga, Gama e Sobradinho.

Exames e serviços

Tele Eletrocardiograma (Tele ECG): possibilita que os sinais elétricos do coração sejam analisados, por meio da fixação de eletrodos no tórax do paciente.

Tele Holter: possibilita o monitoramento da atividade elétrica cardíaca do paciente em suas atividades diárias, durante 24 horas, por meio de eletrodos (fios) fixados em seu peito.

Tele Monitoramento Ambulatorial da Pressão Arterial (Mapa): é um método que possibilita a análise do comportamento da pressão arterial fora do ambiente de consultório médico, durante 24 horas.

Segunda Opinião: é um serviço que possibilita que o profissional de saúde solicite uma segunda opinião, para outro médico especialista em cardiologia. A iniciativa dá uma maior segurança para o profissional realizar o tratamento de pacientes em casos mais complexos.