Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/08/13 às 19h41 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Teste do olhinho realizado na rede pública de saúde previne cegueira

COMPARTILHAR

Somente oito estados e o Distrito Federal oferecem o exame

Mais de 40 mil bebês que nasceram em hospitais públicos no ano passado foram submetidos ao Teste oftalmológico realizado em recém-nascidos e crianças com até um ano de idade, que previne 60% das causas de cegueira, doenças congênitas, rubéola e catarata.

Também conhecido como Teste do Olhinho ou Reflexo da Luz Vermelha, o exame foi implantado no Distrito Federal há cinco anos, depois da aprovação da Lei Distrital 4.189/08. No Brasil, apenas oito estados e o Distrito Federal realizam o exame que é feito nas maternidades públicas e privadas durante as primeiras 24 horas de vida do bebê.

Segundo o coordenador de Oftalmologia da Secretaria de Saúde do DF, Rogério Nobrega, o método é simples, rápido e indolor. No exame, realizado em uma sala escura, é utilizando um oftalmoscópio, aparelho específico para o teste.

“O médico aponta uma luz no olho da criança a uma distância de 20 centímetros, que deve refletir um tom vermelho semelhante ao observado em fotografias com flash. Caso a cor seja opaca, branca ou amarelada, significa que o recém-nascido possui alguma patologia”, explica Rogério.

O oftalmologista também relata que o exame previne a ambliopia, visão deficiente por falta de estímulo do nervo óptico. “A criança forma completamente a visão aos cinco anos. Quando fazemos o teste do olhinho e descobrimos que existe alguma doença tentamos tratá-la antes que o paciente complete essa idade, para que o tratamento seja mais eficaz”, completa o médico.

A paciente do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), Marina da Paixão Costa, 31 anos, deu a luz no último sábado (03) a uma menina e conta que durante a gravidez pesquisou em livros e na internet sobre todos os testes e exames que são realizados após o nascimento do bebê. “Achei muito importante oferecerem esse teste porque, como mãe, ficamos apreensivas em relação à saúde dos filhos. Acredito que quanto mais cedo for o diagnóstico mais fácil será o tratamento da doença”, relata Marina.

Lediane Martins de Freitas veio do Piauí para ter a segunda filha no HMIB. Ela não conhecia o teste do olhinho, mas ficou satisfeita em saber que os hospitais do DF fazem esse tipo de exame. “Familiares e amigos me indicaram esse hospital como referência no Brasil. Não imaginava que o atendimento na rede pública seria tão completo”, comenta Lediane.

Saiba Mais:
Todas as regionais do DF disponibilizam a Caderneta de Saúde para as pacientes com o objetivo de instruir as mães quanto à importância do acompanhamento global do desenvolvimento infantil. O teste o olhinho, assim como outros testes são registrados na caderneta. Portanto, em caso de dúvida os responsáveis podem consultá-la ou procurar um pediatra da rede pública de saúde.

Ludmila Mendonça e Ana Luiza Greca