Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/08/16 às 14h32 - Atualizado em 30/10/18 às 15h15

Vacinação antirrábica ocorrerá neste sábado (27) na área rural

COMPARTILHAR

O objetivo da pasta é imunizar 271 mil animais em todo o DF 

BRASÍLIA (26/8/16) – A vacinação antirrábica será iniciada neste sábado (27) exclusivamente nas áreas rurais do Distrito Federal. Na ocasião, 200 postos, distribuídos em 17 localidades, estarão abertos das 9h às 17h para que os donos de cães e gatos possam levá-los para receber a dose. Animais da área urbana serão imunizados nos dias 10 e 17 de setembro. A doença está controlada na capital federal.

“O único caso de raiva humana no DF ocorreu em 1978. E em cães e gatos, nos anos 2000 e 2001, respectivamente. Mas o fato de estar controlado não significa que os donos destes animais não precisem leva-los para vacinar. Pelo contrário, é extremamente necessário que levem, para mantermos sem a doença, que tem 100% de letalidade”, destacou o veterinário da Vigilância Ambiental em Saúde, Laurício Monteiro.

A expectativa da Secretaria de Saúde é que 271 mil cães e gatos recebam o medicamento contra a raiva, que é repassado pelo Ministério da Saúde. Esse quantitativo equivale a 80% do público-alvo e, para atingi-lo, estarão à disposição da população nesta campanha 6 mil profissionais de diversos órgãos. Além da disponibilização de pessoal e estrutura, o governo de Brasília investiu em seringas e agulhas.

Podem ser imunizados cães e gatos a partir de três meses de vida que estejam saudáveis, inclusive as que estiverem prenhas e aqueles animais que acabaram de ter filhotes. A Gerência de Vigilância Ambiental de Zoonoses recomenda que os cães sejam levados com coleira e, aqueles mais agressivos, de focinheira. Já os gatos, se possível, sejam levados dentro de uma caixa.

DOENÇA – A raiva pode ser transmitida para o homem pela introdução do vírus presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente por meio de mordida. A doença tem 100% de letalidade. “Existem apenas seis casos de cura da raiva no mundo”, frisou Laurício Monteiro.

Os cães, gatos e os mamíferos silvestres, como morcegos e raposas, são considerados os animais de alto risco para transmissão do vírus da raiva humana.

ESTATÍSTICA – Estima-se que, anualmente, a rede pública de saúde do DF atenda 15 mil vítimas de agressão de animais domésticos, como cães e gatos. A orientação do veterinário da Vigilância Ambiental, Laurício Medeiros, é que a pessoa mordida lave imediatamente o ferimento com água e sabão em barra, procure o centro de saúde mais próximo e comunique ao Disque Saúde (160).

No caso do animal com suspeita de raiva ou infectado, ele deverá ficar em observação por dez dias, em local seguro, recebendo água e comida normalmente. Durante este período, verificar se apresenta algum sinal suspeito de raiva.

Em seres humanos, o tempo entre a infecção e o aparecimento da doença varia entre 7 e 10 dias. Entre os sintomas, estão convulsão, febre baixa, perda de função muscular, excitabilidade, agitação e ansiedade.

Clique aqui e confira os locais de vacinação

arte1.jpg