Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/09/16 às 19h58 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Vacinação antirrábica na área urbana começa no sábado (10)

COMPARTILHAR

Meta é imunizar cerca 271 mil animais

BRASÍLIA (8/9/16) – A Secretaria de Saúde inicia, no próximo sábado (10), a Campanha de Vacinação Antirrábica 2016 na área urbana, quando deverão ser imunizados cães e gatos de 21 Regiões Administrativas em 244 postos. Em uma segunda etapa, no dia 17 de setembro, outras 11 cidades do Distrito Federal recebem a campanha, em 292 postos. 

A meta é imunizar cerca de 240 mil animais nos dois dias. “É uma campanha importante porque em todos os anos se garante a erradicação da raiva nos animais e, por conseguinte, a raiva humana. Estamos desde 1978 sem raiva humana. A adesão à campanha garante o sucesso da ausência da doença”, frisa o subsecretário de Vigilância a Saúde, Tiago Coelho.

O Ministério da Saúde enviou à Secretaria de Saúde do DF 300 mil doses de vacina. Segundo o veterinário da Vigilância Ambiental, Laurício Monteiro da Cruz, a eficácia dela é de 95% e sem efeitos colaterais. “Podem ser imunizados cães e gatos saudáveis, com três meses ou mais de vida, inclusive as cadelas e gatas gestantes e lactantes”, destaca.

Aqueles que estiverem tomando a vacina pela primeira vez deverão repetir a dose 30 dias depois da primeira imunização, em um dos postos de Inspetoria de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde.

RURAL – No dia 27 de agosto, foram imunizados cães e gatos da área rural. Ao todo, 32 mil animais foram vacinados, batendo todos os recordes de cobertura já registrados. A meta de imunização, nas áreas urbana e rural, é de 271 mil cachorros e gatos.

Foram disponibilizados 187 postos fixos, instalados em associações, cooperativas, escritórios da Emater e imóveis de referência na área rural.

DOENÇA – A raiva pode ser transmitida para o homem pela introdução do vírus presente na saliva e secreções do animal infectado, principalmente por meio de mordida. A doença tem 100% de letalidade. “Existem apenas seis casos de cura da raiva no mundo”, frisou Laurício Monteiro.

Os cães, gatos e os mamíferos silvestres, como morcegos e raposas, são considerados os animais de alto risco para transmissão do vírus da raiva humana.

ESTATÍSTICA – Estima-se que, anualmente, a rede pública de saúde do DF atenda 15 mil vítimas de agressão de animais domésticos, como cães e gatos. A orientação do veterinário da Vigilância Ambiental, Laurício Medeiros, é que a pessoa mordida lave imediatamente o ferimento com água e sabão em barra, procure o centro de saúde mais próximo e comunique ao Disque Saúde (160).

No caso do animal com suspeita de raiva ou infectado, ele deverá ficar em observação por dez dias, em local seguro, recebendo água e comida normalmente. Durante este período, verificar se apresenta algum sinal suspeito de raiva.
Em seres humanos, o tempo entre a infecção e o aparecimento da doença varia de 7 a 10 dias. Entre os sintomas, estão convulsão, febre baixa, perda de função muscular, excitabilidade, agitação e ansiedade.

SERVIÇO
Campanha de Vacinação Antirrábica 2016
Dias: 10 e 17 de setembro
Horário: 9h às 17h

Os locais de vacinação podem ser consultados aqui 

Veja as fotos aqui