Atendimento em Cuidados Paliativos

Segundo a definição da Organização Mundial de Saúde – OMS, publicada em 1990 e revisada em 2002 e 2017, Cuidados Paliativos é uma “abordagem que melhora a qualidade de vida de pacientes (adultos e crianças) e suas famílias, que enfrentam problemas associados a doenças que ameaçam a vida. Previne e alivia o sofrimento, através da identificação precoce, avaliação correta e tratamento da dor e de outros problemas físicos, psicossociais ou espirituais”.

Portanto, o atendimento em Cuidados Paliativos tem como objetivo principal promover a qualidade de vida dos pacientes, considerando seus valores e sua biografia. Dessa maneira, cada caso é individualizado e as condutas são adequadas conforme a proporcionalidade terapêutica e a necessidade do paciente e sua família.

Critérios para internação na Ala de Cuidados Paliativos oncológicos:

Pacientes em Cuidados Paliativos oncológicos exclusivos (sem possibilidade de tratamento modificador de doença: o que deve estar definido pelo médico assistente no prontuário eletrônico ou em relatório); E

 ≥ 18 anos;

Critérios para internação na Ala de Cuidados Paliativos geriátricos:

Pacientes ≥ 60 anos, com demência em fase grave (totalmente acamado e dependente para atividades de vida diária); OU

Pacientes ≥ 80 anos, com fragilidade (definida por médico); OU

Pacientes idosos com cardiopatias ou pneumopatias avançadas (definidas pelo médico assistente, com transferência sujeita a análise da chefia da unidade).

É necessário encaminhamento, que não necessita de formulário específico e poderá ser realizado por qualquer profissional da equipe assistente, mas preferencialmente pelo médico, e incluir o motivo do encaminhamento, com descrição dos sintomas físicos não controlados. Em caso de dor, classificá-la em leve, moderada ou intensa.

O referido encaminhamento poderá, ainda, incluir a capacidade de mobilidade do paciente ou a avaliação funcional, de modo a facilitar a classificação de prioridade, conforme o Protocolo acima mencionado.

Ambulatórios de Cuidados Paliativos oncológicos adultos:

  • Marcações de primeira consulta reguladas (SISREG), conforme Protocolo específico disponível em: Protocolo-para-primeira-CMA-em-CPaliativos.pdf
  • São admitidos pacientes em cuidados paliativos oncológicos adultos, mesmo os que estejam em tratamento modificador da doença.

Hospital de Apoio de Brasília – HAB:

  1. Assistência em enfermaria especializada (Cuidados Paliativos oncológicos adultos e Cuidados Paliativos geriátricos);
  2. Atendimento em ambulatórios médicos – Cuidados Paliativos oncológicos, geriátricos e neurológicos; psicologia e interdisciplinar;
  3. Serviço interdisciplinar de atendimento ao enlutado.

Ambulatórios de Cuidados Paliativos Geriátricos do Hospital de Apoio: 

  • São admitidos pacientes idosos (≥ 60 anos) encaminhados através de relatório de médico geriatra, paliativista ou médico de família com diagnóstico de Demência fase grave.

Ambulatórios de Cuidados Paliativos Neurológicos do Hospital de Apoio: 

  • São admitidos pacientes encaminhados pelo Centro de Referência em doenças neuromusculares do Hospital de Apoio.

Enfermaria do Hospital de Apoio - HAB:

  • Possui 29 leitos, todos regulados por meio do SISleitos.
  • Interna adultos e idosos em Cuidados Paliativos exclusivos, com intercorrência aguda ou em final de vida.
  • Não possui pronto socorro, por isso, o paciente deve aguardar a vaga no hospital de origem ou em domicílio.

Hospital de Base do Distrito Federal – HBDF / IGESDF:

  1. Atendimento por Equipe Consultora (equipe multidisciplinar), que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa por pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização;
  2. Atendimento em ambulatórios médico e multidisciplinar de Cuidados Paliativos oncológicos adultos;
  3. Matriciamento de outras equipes no Hospital.

Hospital Regional de Taguatinga – HRT:

  1. Atendimento por Equipe Consultora (equipe multidisciplinar), que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa por pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização;
  2. Atendimento em ambulatório médico de Cuidados Paliativos oncológicos adultos;
  3. Matriciamento de outras equipes no Hospital, especialmente de UTI.

*No HRT, as vagas de primeira consulta são prioritariamente destinadas aos pacientes atendidos na Unidade de Oncologia do mesmo Hospital, segundo fluxo de encaminhamento interno.


Hospital Regional da Ceilândia – HRC: 

  1. Atendimento por Equipe Consultora (equipe multidisciplinar), que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa por pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização;
  2. Matriciamento de outras equipes no Hospital.

Hospital Regional da Asa Norte – HRAN:

  1. Atendimento por Equipe Consultora (equipe multidisciplinar), que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa por pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização;
  2. Matriciamento da equipe responsável pela enfermaria de Cuidados Paliativos voltada a pacientes infectados por COVID-19.

Hospital Regional de Samambaia – HRSAM:

  1. Atendimento por interconsulta médica (equipe multidisciplinar em formação) que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa por pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização;
  2. Assistência em 1 leito de internação destinado a pacientes em cuidados paliativos que estejam em fim de vida;
  3. Matriciamento de outras equipes no Hospital, especialmente de UTI.

Hospital Materno Infantil de Brasília – HMIB:

  1. Atendimento por Equipe Consultora (multidisciplinar) em Cuidados Paliativos pediátricos e neonatais, que realiza interconsulta hospitalar (por meio de pareceres), busca ativa de pacientes que necessitem de Cuidados Paliativos e promove desospitalização.
  2. Atendimento em ambulatório multidisciplinar de perinatologia;
  3. Matriciamento de outras equipes no Hospital, especialmente de UTI pediátrica e neonatal.

Ambulatórios de Cuidados Paliativos perinatais do HMIB:

  •  Acesso por encaminhamento pela equipe da Medicina Fetal do HMIB, após avaliação da mesma.
  • O acesso à equipe de Medicina Fetal do HMIB é feito por meio de encaminhamento realizado por obstetra da rede SESDF.

Equipes Consultoras de Cuidados Paliativos:

  • Acesso por meio de pedido de parecer de qualquer profissional da equipe assistente, desde que especificada a demanda.
  • Atendimento a qualquer demanda de pacientes que necessitem de abordagem em Cuidados Paliativos, independente da doença.
  • Serviço interdisciplinar de atendimento ao enlutado do Hospital de Apoio de Brasília:
  •  Acesso por encaminhamento pela equipe da Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital de Apoio.

Serviço interdisciplinar de atendimento ao enlutado do Hospital de Apoio de Brasília: 

  • Acesso por encaminhamento pela equipe da Unidade de Cuidados Paliativos do Hospital de Apoio.

*Destaca-se que a assistência em Cuidados Paliativos é multiprofissional e pode contar com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, nutricionistas e farmacêuticos.

O Atendimento em Cuidados Paliativos é oferecido pela rede pública de saúde do Distrito Federal (SESDF) da seguinte forma:

Hospital de Apoio de Brasília – HAB

Hospital de Base do Distrito Federal – HBDF / IGESDF

Hospital Regional de Taguatinga – HRT

Hospital Regional da Ceilândia – HRC

Hospital Regional da Asa Norte – HRAN

Hospital Regional de Samambaia – HRSAM

Hospital Materno Infantil de Brasília – HMIB

*O Distrito Federal conta com os Núcleos Regionais de Atenção Domiciliar (NRADs), que também promovem assistência multidisciplinar a pacientes oncológicos e estão recebendo treinamento em Cuidados Paliativos.